Mercados

Petróleo se recupera e pressão sobre Biden aumenta

Investidores aguardam decisão do presidente americano sobre possível uso da Reserva Estratégica de Petróleo para acalmar os preços

Contrato West Texas Intermediate subia 1%, mas ainda estava cerca de US$ 3 abaixo da alta da semana
Por Por Saket Sundria e Alex Longley
11 de Novembro, 2021 | 08:27 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo voltaram a subir com investidores pesando as chances de que a Casa Branca possa intervir no mercado para resfriar os preços, com o presidente americano Joe Biden dizendo que reverter a inflação agora é sua prioridade, especialmente em energia.

O contrato West Texas Intermediate subia 1%, mas ainda estava cerca de US$ 3 abaixo da alta da semana. Biden está enfrentando uma pressão crescente para enfrentar o aumento dos preços, à medida que os ganhos nos custos ao consumidor atingem o ritmo mais rápido em décadas.

As opções incluem explorar a Reserva Estratégica de Petróleo (SPR, na sigla em inglês) ou mesmo proibir as exportações de petróleo. Onze senadores democratas instaram Biden a agir sobre a questão em uma carta esta semana.

Veja mais: Rali do petróleo tem pausa com previsão de excesso de oferta nos EUA

PUBLICIDADE

Até 60 milhões de barris podem ser liberados do SPR, em parte pela antecipação das vendas obrigatórias a partir de 2022, de acordo com o Citigroup. Isso seria o suficiente para eliminar o déficit de abastecimento que a Administração de Informações de Energia previu para o resto deste ano.

Com a recuperação econômica da pandemia aumentando a demanda, drenando estoques e pressionando a inflação, os preços do petróleo estiveram em alta durante grande parte de 2021. Apesar da recuperação, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados têm retornado a produção apenas gradualmente, argumentando que a prudência ainda é necessária, pois os riscos para o consumo global permanecem.

“O mercado está em um modo de esperar para ver”, disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS. “Todo mundo está esperando o próximo movimento da administração dos EUA.”

Preços do petróleo

  • WTI para entrega em dezembro era negociado com alta de 1% a US$ 82,14 perto das 8h, horário de Brasília
  • O Brent para liquidação em janeiro subia 0,9%, para US$ 83,36 o barril

A queda nos preços de referência dos EUA na quarta-feira veio quando dados mostraram um aumento nos estoques de petróleo em todo o país, embora os estoques no principal centro de armazenamento em Cushing, Oklahoma, tenham diminuído. Separadamente, outras informações mostraram os preços ao consumidor dos EUA subindo no ritmo anual mais rápido desde 1990 no mês passado.

PUBLICIDADE

Com o mercado atento a potenciais passos dos EUA, o comércio de petróleo tem sido altamente volátil. Um indicador de mercado monitorado de perto - o spread entre os dois contratos de dezembro mais próximos - oscilou em mais de um dólar em quatro dos últimos seis pregões, quando geralmente mudaria alguns centavos.

Leia também

Perdas financeiras levam BRF a prejuízo de R$ 271 milhões

PUBLICIDADE