Internacional

Oferta menor de magnésio da China ameaça empregos na Europa

Problema ameaça milhares de empresas e milhões de empregos em setores que vão de automóveis a embalagens, alertaram associações

Oferta menor de magnésio da China ameaça empregos na Europa
Por Mark Burton
22 de Outubro, 2021 | 09:40 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A escassez de magnésio na Europa pode interromper as operações industriais em semanas, ameaçando milhares de empresas e milhões de empregos em setores que vão de automóveis a embalagens, alertaram associações.

Exportações chinesas de magnésio - um material crítico para o endurecimento de ligas de alumínio e usado em tudo, desde ferramentas elétricas a laptops - despencou à medida que o país corta a produção por causa de uma crise de energia. Isso fez com que os preços disparassem e deixasse os compradores em todo o mundo expostos.

A Europa, que compra 95% de seu magnésio da China, deverá ficar sem o metal até o final de novembro, disse um grupo de associações da indústria, incluindo a European Aluminium, Eurometaux e industriAll, na sexta-feira. A escassez de produção, o fechamento de fábricas e a perda de empregos podem ocorrer, a menos que as reservas sejam reabastecidas, disseram eles.

A escassez de magnésio está entre uma lista crescente de dores de cabeça para uma ampla gama de indústrias que foram atingidas por preços recordes de gás e energia, preços mais altos de materiais como cobre e cadeias de suprimentos enroscadas.

PUBLICIDADE
  dfd

“O fornecimento de magnésio originário da China foi interrompido ou reduzido drasticamente desde setembro de 2021, resultando em uma crise de fornecimento internacional de magnitude sem precedentes”, disse o grupo. As associações pediram aos governos e à Comissão Europeia que “trabalhem urgentemente em ações imediatas com suas contrapartes chinesas para mitigar o problema de escassez crítica de curto prazo, bem como os efeitos de longo prazo do fornecimento nas indústrias europeias.”

Tem havido advertências semelhantes nos EUA, onde um produtor líder de tarugo de alumínio disse aos clientes que pode reduzir a produção e racionar as entregas já no próximo ano devido à escassez. A Alcoa, maior fabricante americana de alumínio bruto, também expressou preocupações sobre a escassez de magnésio e viu alguns fornecedores suspendendo as entregas.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Wall Street eleva aposta para aumento da Selic na próxima semana

Guedes nega que pediu demissão e Bolsonaro diz que não ‘fará aventura’

PUBLICIDADE