Cripto

Bitcoin: Estrategistas projetam criptomoeda em US$ 100 mil até o fim do ano

Moeda alcançou o valor máximo após o lançamento do ETF nos EUA e tem sido impulsionada pelo investimento institucional contínuo em criptoativos

Bitcoin ATM em Palma de Mallorca
Por Joanna Ossinger
22 de Outubro, 2021 | 02:28 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

O Bitcoin perdeu fôlego após o recorde da quarta-feira, mas alguns estrategistas acreditam que o próximo movimento de valorização levará a cotação a US$ 100 mil até o final do ano.

O avanço desta semana para perto de US$ 67 mil pode levar a um novo panorama, com a chegada dos primeiros ETFs (fundos negociados em bolsa) de futuros de Bitcoin dos EUA.

Muita gente projeta valorização para US$ 100 mil até o final do ano, incluindo o CEO da BitMEX, Alexander Hoptner, que comentou essa possibilidade em entrevista à Bloomberg Television na sexta-feira.

Alex Hoptner, CEO da plataforma de negociação de derivados de criptomoeda BitMEX, espera que o Bitcoin alcance 100 mil até o final do ano.dfd

A maior criptomoeda recuava 3% para US$ 60,816 mil às 13h25 em Nova York (14h25 em Brasília) nesta sexta-feira após atingir um recorde de quase US$ 67 mil na quarta-feira.

PUBLICIDADE

O Bitcoin alcançou o valor máximo após o lançamento do ETF nos EUA e tem sido impulsionada pelo investimento institucional contínuo em criptoativos, além de possíveis compras por grandes investidores apelidados de “baleias”.

Outros analistas acham que o próximo teste será na casa de US$ 90 mil.

  dfd

“Os alvos iniciais de valorização da Bitcoin acima de US$ 65.000 estão próximos a US$ 72.500, depois US$ 89 mil, e definitivamente ao alcance com a ruptura de picos anteriores”, escreveu a Fundstrat em relatório distribuído na quarta-feira.

Katie Stockton, fundadora da Fairlead Strategies, disse na segunda-feira — antes do último recorde — que um rompimento para novos recordes proporcionaria uma tendência positiva de longo prazo que colocaria o alvo da moeda digital em US$ 89,8 mil.

PUBLICIDADE

“No geral, ainda é um mercado construtivo”, disse Todd Morakis, cofundador da JST Capital. Ele está de olho em um recuo potencial, mas também busca patamares de valorização para US$ 72 mil a US$ 75 mil.

Veja mais em bloomberg.com


PUBLICIDADE