Negócios

Nike investe em negócio de mídia de LeBron James; valuation é de US$ 725 mi

SpringHill Company produz programas de TV, podcasts e filmes, incluindo o mais novo Space Jam, estrelado pelo próprio atleta

Astro da NBA criou empresa que deve bater receita de US$ 100 milhões nos próximos 12 meses
Por Jason Kelly
17 de Outubro, 2021 | 12:32 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A SpringHill Company, negócio de consumo e entretenimento criado pelo astro da NBA LeBron James e seu sócio Maverick Carter, está vendendo uma participação minoritária a um grupo de investidores que inclui Nike, Epic Games, Redbird Capital Partners e os proprietários do time de beisebol Boston Red Sox.

A decisão rendeu ao negócio, criado no ano passado por meio da combinação de três empresas já existentes fundadas por James e Carter, uma valuation de cerca de US$ 725 milhões, disse a SpringHill, com sede em Los Angeles, em comunicado emitido na quinta-feira (14). A dupla continuará nos cargos de presidente e CEO, respectivamente, e terão participação majoritária no negócio.

A SpringHill, que recebeu seu nome em homenagem ao prédio em que James morou quando jovem em sua cidade natal de Akron, no estado de Ohio, produziu programas de TV, podcasts e filmes, incluindo Space Jam: Um Novo Legado, o qual James estrelou. A empresa também produziu a The Shop: Uninterrupted, talk show da HBO no qual James está em uma barbearia, e o recente documentário da Netflix sobre Naomi Osaka, astro do tênis. A venda da participação levará as ambições da SpringHill para áreas que incluem moda e jogos, disse Carter em entrevista.

“Conseguimos uma tração real e entendemos que a emoção e o sentimento de empoderamento são necessários”, disse ele. “Agora estamos levando isso ao produto e à experiência e realmente expandindo esse sentimento”.

PUBLICIDADE

Veja mais: Conferência da Nike revela ‘pesadelo logístico’ e falta de suprimento

O novo grupo de investidores alavanca uma série de relacionamentos de longa data. James endossa produtos da Nike desde 2003, e Carter trabalhou na gigante de calçados e vestuário antes de trabalhar com seu amigo de infância em tempo integral. A dupla se juntou ao Fenway Sports Group – proprietários do Red Sox e do Liverpool FC – em 2011 e, por fim, tornaram-se proprietários minoritários de ambos os clubes através do FSG. James também concordou recentemente em ter sua imagem integrada no popular jogo Fortnite, da Epic.

Os investidores aumentarão a credibilidade e o acesso da SpringHill às suas respectivas áreas de especialização, disse Carter. A associação com a Redbird, que investiu em várias empresas de mídia e esportes, permite que a SpringHill busque negócios potenciais em todo esse portfólio.

A Main Street Advisors, liderada por Paul Wachter, representou a SpringHill na transação. Wachter, que também faz parte do conselho da SpringHill, é conselheiro de longa data de James e Carter e foi o principal arquiteto do negócio de 2020, que arrecadou US$ 100 milhões para criar a empresa.

PUBLICIDADE

A valuation da SpringHill mais que dobrou desde então, e o negócio está a caminho de obter receita de US$ 100 milhões nos próximos 12 meses, disse Carter. A entrada de dinheiro permitirá que a SpringHill desenvolva mais de suas ideias internamente e depois as venda, em vez de buscar financiamento antecipado.

Carter disse que eventos nacionais e globais desde o acordo original encorajaram mais e diferentes tipos de pessoas a contar suas histórias. Os distribuidores estão dispostos a comprar os programas porque os consumidores clamam por eles, disse. Empresas como a Procter & Gamble também estão contratando a SpringHill para fazer curtas como These Hands, que apresenta profissionais negros fora do esporte.

Veja mais: Temporada de lucros dos EUA pode ser salva-vidas em meio a pessismismo

“O que eu sei fazer – uma narrativa emocional – e fazê-lo com empoderamento, é vital”, disse Carter. “Os criadores desejam se sentir empoderados a criar. A proposta é muito maior agora”.

Veja mais em Bloomberg.com


PUBLICIDADE