promo
Green

Mais de 90% das empresas não medem emissões corretamente, segundo BCG

Cerca de 1,3 mil empresas foram pesquisadas; maioria reconheceu taxa de erro de até 40% na investigação de emissões

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Menos de uma em cada dez empresas mede suas emissões gases de efeito estufa corretamente, de acordo com o Boston Consulting Group, destacando um grande obstáculo na corrida para as emissões zero.

Apenas 9% das empresas têm capacidade de contar suas emissões com frequência e precisão, disse a empresa de estratégia de negócios em estudo divulgado na quarta-feira (13). A pesquisa mostrou que 81% das empresas não relatam emissões relacionadas às próprias atividades, ao passo que 66% omitem emissões de seus fornecedores e clientes. Mais da metade das empresas reconheceu uma taxa de erro de até 40%.

“Se você errasse suas finanças em 40%, você iria preso”, disse Mike Lyons, diretor e sócio do BCG. “Se você está tão equivocado, vai chamar a atenção dos acionistas e membros do conselho. As pessoas serão demitidas por sua causa, e os ativistas dirão que você não tem credibilidade”.

As 1.290 organizações da pesquisa abrangem a Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul, cobrindo setores de saúde a finanças. As empresas tinham entre mil e mais de 10 mil funcionários e receitas de menos de US$ 100 milhões a mais de US$ 10 bilhões.

Uma empresa de bebidas alcoólicas envolvida na pesquisa deixou de medir as emissões relacionadas às suas garrafas de vidro, como as de seus fornecedores, materiais e países de origem. Quando o fizeram, descobriram que as emissões eram 45% mais altas do que inicialmente aferido. Em outro caso, as emissões em um varejista de utensílios domésticos dos EUA foram mais do que o dobro do estimado originalmente quando incluído o uso para fornos e micro-ondas.

Veja mais: Cúpula do G-20 será ‘decisiva ou destrutiva’ para o clima, diz presidente da COP-26

“Se não coletarem e analisarem dados granulares e fatores de emissão, não podem esperar que suas medições sejam precisas”, disse Sylvain Duranton, líder global do BCG Gamma e coautor do relatório.

Cerca de 87% das organizações desejam ampliar o escopo de seus relatórios, mas precisam de ferramentas melhores para isso. Apenas 11% das empresas atingiram suas metas de redução de emissões nos últimos cinco anos, mostrou o estudo.

Quase metade dos entrevistados disse que precisa de ferramentas de simulação para ajudar a projetar emissões futuras, ao passo que outros disseram que gostariam de ter uma ferramenta de inteligência artificial para ajudar a calcular suas pegadas de carbono automaticamente.

Charlotte Degot, diretora do BCG que também é coautora da pesquisa, afirma que a medida precisa por meio de IA pode reduzir as emissões de uma empresa em até 40%. Isso pode ser alcançado “por meio da identificação das melhores iniciativas, rastreamento de resultados e otimização das operações da empresa”, disse.

Veja mais em Bloomberg.com