promo
Green

Uruguai quer incentivar empréstimos com foco em meio ambiente

“Isso se aplicaria não apenas a títulos emitidos em mercados de capitais, mas poderia incluir empréstimos desembolsados por agências multilaterais”, disse ministra de Economia

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Uruguai planeja pressionar por empréstimos multilaterais mais baratos para países que implementam políticas ambientais fortes, disse Azucena Arbeleche, ministra de Economia e Finanças, enquanto o país se prepara para assumir a liderança de um importante comitê do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional.

Como presidente do Comitê de Desenvolvimento a partir do próximo mês, Arbeleche disse que também ajudará países em desenvolvimento a obter financiamento para combater a mudança climática e “cumprir metas climáticas mais ambiciosas”, bem como promover um acesso mais equitativo às vacinas contra a Covid-19.

A iniciativa chega quando títulos verdes e atrelados à sustentabilidade ganham popularidade entre empresas e governos: até setembro, as emissões haviam subido para US$ 424 bilhões, segundo dados compilados pela Bloomberg.

O comitê é um fórum de nível ministerial do Banco Mundial e do FMI para buscar consenso intergovernamental sobre questões de desenvolvimento. Arbeleche presidirá o comitê até outubro de 2022.

O Uruguai trabalha em seu próprio título verde que lhe permitiria obter financiamento para gastos em geral, em vez de destinar fundos para programas ambientais ou sociais específicos, como tem sido o caso de títulos verdes soberanos vendidos por outros países, disse a ministra. Arbeleche não quis comentar sobre o prazo da emissão que, segundo ela, seria a primeira desse tipo no mercado de títulos soberanos.

O país também pode vender ainda este ano seu primeiro título denominado em iene em uma década. O governo uruguaio encerrou um roadshow preliminar com investidores japoneses há duas semanas, disse Herman Kamil, diretor da unidade de gestão de dívida do Ministério de Economia e Finanças.

“Ainda precisamos acertar as condições financeiras da possível emissão”, disse.

Durante a entrevista, a ministra disse que o país está no caminho para crescer 3,5% em 2021. “O Uruguai caminha para um ponto de inflexão na batalha contra a pandemia e já vemos sinais claros de que a recuperação está em andamento”, afirmou.

O Uruguai também conversa com outros países sobre possíveis pactos comerciais. Arbeleche está otimista de que Uruguai e China poderiam fechar um acordo de livre comércio.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Mujica: ‘Não há nada que faça os jovens apaixonarem-se. E a culpa não é deles’

Príncipe Harry e Meghan se unem ao boom do ESG