promo
Negócios

Inflação é maior preocupação de presidente do Goldman Sachs

John Waldron: “Não é transitória. Nunca vi uma divergência maior entre o que é definido como transitório e o que está sendo visto todos os dias”

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O presidente do Goldman Sachs, John Waldron, diz que a inflação é o principal risco que preocupa o executivo no momento.

O executivo destacou a inflação como a maior fonte de preocupação para a recuperação de curto prazo e disse que os preços mais altos poderiam causar um impacto de longo prazo nos mercados emergentes.

“A maioria dos CEOs com quem converso hoje está muito preocupada com a cadeia de suprimentos, muito preocupada com os custos de importação, sejam de materiais, commodities e cada vez mais mão de obra”, disse Waldron em reunião anual do Instituto de Finanças Internacionais (IFI), realizada de forma virtual novamente neste ano.

Os comentários do presidente do Goldman ecoam a opinião do diretor-presidente da BlackRock, Larry Fink, que, em entrevista à CNBC na quarta-feira, disse que a inflação “definitivamente não é transitória”. Em teleconferência sobre o balanço, Jamie Dimon, CEO do JPMorgan Chase, observou que a inflação não deve desacelerar nos próximos trimestres.

Waldron, o principal representante do CEO do Goldman, David Solomon, disse que as expectativas de inflação já foram consolidadas por causa dos problemas nas cadeias de suprimentos. Ele alertou que pode levar um ou dois anos, talvez mais, para que esses desafios sejam amenizados.

“Isso realmente dá mais tempo para que as expectativas de inflação se consolidem e se mantenham”, disse Waldron. “Sem dúvida, é uma preocupação significativa.”

Os alertas de Waldron distoam dos líderes do HSBC e Bank of America, que minimizaram as pressões inflacionárias durante os primeiros dois dias da reunião do IFI. Os comentários de Waldron antecedem os dados trimestrais do Goldman, cujo balanço será divulgado na sexta-feira (15).

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Kanczuk afirma que ritmo de aumento de juros pode mudar

Apple: Crise ‘sem fim’ de suprimento abate empresa mais valiosa do mundo