Tech

Por que Whatsapp, Facebook e Instagram apresentam instabilidade?

Usuários de todo o mundo começaram a reportar problemas para usar as plataformas - todas pertencentes ao Facebook - desde às 12h40, horário de Brasília

Plataformas pertencentes ao Facebook - Whatsapp, Instagram e a rede homônima - ficaram fora do ar no início desta tarde
04 de Outubro, 2021 | 01:06 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — As principais plataformas de redes sociais, Whatsapp, Facebook e Instagram, apresentam instabilidades no início da tarde desta segunda-feira (4). Conforme relatos de usuários em todo o planeta, as aplicações começaram a ficar fora do ar a partir das 12h40, horário de Brasília.

As ações do Facebook caíam 4,75% na Nasdaq perto das 13h00 de Brasília, enquanto o principal índice tecnológico da bolsa americana apresentava recuo de 2,27%.

De acordo com a plataforma Downdetector, que relata falhas em sites da internet, era possível verificar relatos sobre dificuldades de acessar as redes sociais em todo o mundo, incluindo Brasil, Estados Unidos e México.

Pelo Twitter, o Whatsapp informou que identificou a falha e trabalha para consertar o problema.

PUBLICIDADE

Agências citando fontes dão conta de que o problema é parte de uma falha de DNS (Domain Name System, ou Sistema de nome de domínio, em português), que basicamente converte nomes de domínios em endereços IP legíveis por máquinas.

O Facebook também utilizou o Twitter para dizer que trabalha para resolver o problema.

Mais cedo, as ações do Facebook já caíam na abertura, para seu nível mais baixo desde junho, depois que uma denunciante acusou o gigante da mídia social de colocar “lucro acima da segurança” de seus usuários.

“Houve conflitos de interesse entre o que era bom para o público e o que era bom para o Facebook”, disse Frances Haugen ao noticiário “60 Minutes” na noite de domingo (3). “O Facebook sempre escolheu otimizar para seus próprios interesses, como ganhar mais dinheiro.”

PUBLICIDADE

Haugen, que ajudou a lidar com a desinformação na plataforma, entregou milhares de páginas de pesquisas internas do Facebook para legisladores dos EUA e para o Wall Street Journal, e seus advogados entraram com pelo menos oito queixas na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a SEC, de acordo com o “60 minutes“. Ela sugeriu que a companhia enganou o público com afirmações sobre o combate à desinformação e discurso de ódio e que a empresa sabia, mas não divulgou, impactos prejudiciais de seus serviços como o Instagram.

-- Com informações de Bloomberg News

(Atualiza às 14h10 com informações sobre denúncia contra o Facebook)

PUBLICIDADE