promo
Mercados

Esperanças por remédio contra Covid animam mercados

Resultados positivos de testes da farmacêutica Merck com antiviral impulsionam bom humor, apesar de exterior negativo

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O principal índice da B3 opera em alta no início do primeiro pregão de outubro, com a expectativa de que a luta contra a Covid possa estar ainda mais próxima do fim. Mais cedo, a farmacêutica Merck anunciou que testes com seu antiviral molnupiravir reduziu o risco de hospitalização ou morte em 50% em uma análise provisória de um ensaio em estágio final, descobertas que poderiam dar aos médicos outra ferramenta potente de combate a vírus.

Nos Estados Unidos, as empresas de tecnologia pesam no mercado de ações, enquanto traders avaliavam os dados que mostravam uma inflação mais rápida do que a estimada contra as perspectivas de uma recuperação econômica.

O índice Nasdaq 100, de alta tecnologia, cai pela quinta sessão consecutiva, enquanto o S&P 500 flutuava. O indicador de referência caminhava para sua maior queda semanal desde janeiro. As empresas que mais se beneficiarão com a aceleração da retomada apresentam desempenho superior nesta sexta-feira (1). O dólar americano recua, enquanto o Bitcoin estava a caminho de sua maior alta desde julho.

Veja mais: Futuros no exterior em queda, criptoativos disparando: Principal do dia

  • O Ibovespa subia 0,62%, perto das 11h15, a 111.661 pontos, com as blue chips em tendência de alta
    • JBS (JBSS3), PetroRio (PRIO3) e bancos eram as maiores contribuições para a alta
  • Dólar e juros operavam no vermelho, com o recuo da moeda americana no exterior. O dólar caía 1,23% a R$ 5,401. O DI para janeiro próximo foi de 7,200% para 7,186%
  • Nos EUA, o Dow Jones oscilava, operando em alta de 0,06%, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq caíam 0,29% e 0,77%, respectivamente

Contexto

Nos EUA, o índice de gastos com consumo pessoal - que o Federal Reserve usa para sua meta de inflação - teve o maior aumento anual desde 1991. A reabertura da economia global após a pandemia do coronavírus provavelmente levará a uma alta nos preços nos próximos 12 a 18 meses, disse o vice-presidente da BlackRock, Philipp Hildebrand.

“Acho que é o quadro errado perguntar se é transitório ou persistente, acho que são os dois”, disse em entrevista à Bloomberg TV hoje. “O ponto principal é que a inflação vai se estabilizar em um ponto mais alto e os mercados terão que se acostumar com isso.”


-- Com informações de Bloomberg News

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.