promo

ANP promove 17ª Rodada; IPOs Comerc, Environmental ESG: Radar SA

Agência Nacional de Petróleo vai ofertar 92 blocos com risco exploratório, localizados em 11 setores de quatro bacias sedimentares brasileiras

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Agência Nacional de Petróleo vai ofertar 92 blocos com risco exploratório, localizados em 11 setores de quatro bacias sedimentares brasileiras: Campos, Pelotas, Potiguar e Santos. A expectativa da agência é que a assinatura dos contratos de concessão aconteça em 31 de março de 2022.

A semana

  • 4/outubro: Banco do Brasil promove reunião pública com analistas de mercado, acionistas e investidores
  • 5/outubro: Governo de Minas Gerais promove leilão do Aeroporto de Pampulha, em Belo Horizonte
  • 6/outubro: Tribunal do Cade pode divulgar decisão sobre o acordo entre Localiza e Unidas, embora prazo final para deliberação do órgão sobre a fusão possa ser estendido até janeiro de 2022
  • 7/outubro: 17ª rodada de licitação de blocos de petróleo e gás natural pela ANP
  • 7/outubro: Banco Inter divulga dados operacionais 3T21- números podem ser catalisador para o papel, segundo analistas do JPMorgan liderados por Yuri Fernandes
  • 7/outubro: Definição de preço por ação em IPO da Environmental ESG, empresa da Ambipar
  • 7/outubro: Camil divulga balanço do 2T21
  • 8/outubro: Definição do preço por ação em IPO da Comerc

Veja mais: Petrobras confirma ofertas bilionárias de dois consórcios por campos de Albacora

Acordo complexo

A Superintendência do Cade considerou complexo o acordo entre Hapvida e Intermédica e pediu novas informações, segundo despacho publicado no Diário Oficial. As ações das duas companhias despencaram mais de 6% após a notícia. A agência reguladora ANS já deu seu aval ao negócio em junho.

Começa a andar

No que depender da área técnica da Anatel, a venda das redes de telefonia e internet móveis da Oi para suas rivais Vivo, Tim e Claro começa a deslanchar. Segundo a Agência Estado, a área técnica deu anuência à concretização da venda, desde que acompanhada por remédios, mas o parecer ainda precisa passar pela Procuradoria Federal e pelo conselho diretor da agência. O negócio foi fechado em dezembro e envolve R$ 16,5 bilhões.

Quer mudar

Um acionista da Alliar pediu a destituição integral do conselho da companhia e a eleição de novos membros, segundo comunicado da própria Alliar, que disse que avaliará o pedido. O acionista também quer a elaboração de um novo plano estratégico de longo prazo para a companhia. Segundo o Brazil Journal, tal acionista seria Nelson Tanure. O Brazil Journal citava em agosto que Tanure já controlaria 30% do capital da Alliar por meio de diversos veículos, inclusive comprando a participação do Pátria na empresa.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

China pede que mineradoras produzam carvão mesmo acima de cotas