PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

Google adiciona contexto a resultados de pesquisa para combater desinformação

Ferramenta foi lançada em julho, mas está passando por melhorias, conforme anunciado em evento da empresa na quarta-feira (29)

Novas funcionalidades do mecanismo de busca incluem combate à desinformação e informações úteis sobre incêndios florestais
Por Nico Grant
30 de Setembro, 2021 | 10:06 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Google vai começar a adicionar detalhes e contexto sobre tópicos e fontes aos resultados dos mecanismos de pesquisa – uma decisão para ajudar os usuários dos Estados Unidos a ficarem mais informados sobre as origens do material on-line e para combater a desinformação.

A empresa da Alphabet adicionará descrições sobre os sites listados em suas próprias palavras, análises de sites provenientes de outras partes e informações sobre tópicos provenientes de terceiras fontes, disse o Google durante seu evento Search On na quarta-feira (29). Essas informações podem ser encontradas no painel “Sobre este resultado”, que pode ser acessado com um clique nos três pontos ao lado dos resultados da pesquisa.

“Há muitas informações no mundo provenientes de diferentes fontes, algumas desconhecidas”, disse Harris Cohen, gerente de produto da equipe de confiança do consumidor do Google. “Muitas pessoas estão preocupadas com a desinformação. Em muitas áreas, essa ferramenta os auxilia nessa jornada”.

O Google, que processa bilhões de pesquisas por dia, buscou maneiras de combater a calamidade das falsidades on-line em tempos de Covid-19, política polarizada e campanhas de desinformação patrocinadas pelos governos. Seu algoritmo já prioriza sites conhecidos por serem confiáveis e factuais, mas nos últimos meses, a empresa tem reforçado seus esforços para prestar aos usuários mais informações sobre o contexto dos resultados obtidos. A empresa lançou o recurso “Sobre este resultado” em julho.

PUBLICIDADE

Além de suas ferramentas de busca, a gigante da Internet disse que um de seus novos modelos de inteligência artificial, chamado Multitask Unified Model (MUM), será usado em alguns resultados de reconhecimento de imagem do Google Lens. A ferramenta mais poderosa permitirá que os usuários adicionem perguntas textuais a uma pesquisa visual. Por exemplo, alguém pode tirar uma foto de uma cortina estampada e perguntar ao Google se ele consegue encontrar poltronas semelhantes.

Veja mais: Crise de energia é vingança da velha economia, diz Goldman Sachs

O Google disse que o uso do MUM possibilitaria novos avanços nos próximos meses, incluindo a capacidade de refinar ou ampliar uma busca, e que a empresa está facilitando a navegação nas páginas de resultados visuais. Nas próximas semanas, o MUM também ajudará os usuários a identificar tópicos relacionados em um vídeo, mesmo que não sejam mencionados explicitamente.

Separadamente, a empresa disse que continuará seu trabalho ajudando as pessoas a conseguirem endereços físicos se suas casas não tiverem um estabelecido pelo governo em países como Índia, África do Sul, Quênia e EUA. Ter um endereço facilita o cadastro em instituições eleitorais, bancos e até a entrevista de emprego. O Google disse que vai expandir sua lista de parceiros nesse esforço.

PUBLICIDADE

A empresa com sede em Mountain View, Califórnia, também está adicionando uma seção sobre incêndios florestais ao seu serviço Maps que mostra as áreas queimadas, bem como sites e telefones de emergência e informações de evacuação dos governos locais.

Veja mais em bloomberg.com

Leia tambémCrise de energia é vingança da velha economia, diz Goldman Sachs

YouTube removerá vídeos com informações falsas sobre vacinas

Usuários da Amazon e do Google deveriam se revoltar contra anúncios