Saúde

Colômbia é o melhor país da América Latina para estar na pandemia

Na última atualização do ranking mundial da Bloomberg de resiliência à Covid, o Brasil subiu três posições e ficou em 32° lugar

Na América Latina, o Uruguai lidera a lista de esquema vacinal completo, com 73,62% da população; Brasil tem 41,12%
29 de Setembro, 2021 | 05:04 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — A Colômbia, país que até ontem (28) registrava mais de 4,9 milhões de infecções e 126.178 mortes pela pandemia, subiu cinco posições e ficou na 22ª colocação mundial do ranking Bloomberg de resiliência da Covid em sua última atualização.

Em meio à ameaça da variante delta, os países europeus continuam no topo do ranking, apesar do alto fluxo de viajantes na temporada de verão, que foi bem administrada. A isso se soma uma estratégia baseada em dar mais acessos às pessoas vacinadas para estimular a imunização nos diferentes mercados.

A Colômbia foi o melhor país da América Latina na lista, acima do Chile, que caiu uma posição, para a 31ª. O Brasil subiu três e ficou em 32°; e México, que avançou sete, ficou em 33°. Abaixo estão Peru (37°), que avançou uma posição, e Argentina (47°), que permaneceu na mesma posição.

No mundo, a Irlanda ocupa o primeiro lugar, com avanço de três posições, seguida por Espanha, Holanda, Finlândia, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, França, Suíça, Canadá, Noruega, Bélgica, República Tcheca, Áustria, entre outros.

PUBLICIDADE

Veja mais: FDA deve autorizar reforço de meia dose da Moderna

Os Estados Unidos aparecem apenas na posição 28, após cair três lugares, afetados pela variante delta, que já deixou mais casos e mortes. Até a última terça-feira (28), o país norte-americano registrou 43.124.884 infecções e 690.641 mortes pela pandemia.

Ranking dos países da América Latinadfd

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até segunda-feira (27), foram notificados mais de 231 milhões de casos confirmados de coronavírus e o mundo já ultrapassa os 4,7 milhões de mortes, enquanto cerca de 5.924 milhões foram administrados.

Nas Américas, mais de 89 milhões de casos e 2,1 milhões de mortes foram notificados, de acordo com o relatório da OMS.

PUBLICIDADE

O Covid Resilience Ranking, lançado em novembro de 2020, classifica 53 economias e aplica três critérios fundamentais de medição: quão completos são os dados? quão atualizados são? quem os coleta?

Com base nestes critérios, foi definida uma lista de 12 componentes cuja ponderação define a pontuação final da classificação, que “é o resultado de meses de análise de várias fontes de informação por repórteres e especialistas em dados da Bloomberg”.

A resiliência é medida não só em virtude das pessoas protegidas pelas vacinas, mas também pela gravidade dos bloqueios e da reativação das viagens devido à sua capacidade, entre outros fatores.

Vacinação na América Latina

Apesar de a vacinação ter começado lentamente na Colômbia, o país retomou o ritmo e, até segunda-feira, 50,5% da população havia recebido pelo menos uma dose das diferentes vacinas contra o coronavírus, enquanto 32,26% receberam a esquema completo.

Na América Latina, os países que mais avançam no esquema de vacinação são o Uruguai, onde 73,62% da população está com o esquema completo, e o Chile, onde esse indicador chega a 73,38%.

No Equador, 55,05% têm o regime completo, enquanto em El Salvador 51,05%, no Panamá 50,48%, na Argentina 47,03%, na República Dominicana 44,44% e no Brasil 41,12%.

PUBLICIDADE

Apesar dos avanços, a Vice-Ministra da Proteção Social da Colômbia, María Andrea Godoy, reconheceu que “houve uma diminuição da taxa de vacinação” no país e, portanto, “é necessário trabalhar juntos para um esforço de todos os atores e melhorar a cobertura nos territórios neste momento“.

-- Com informações de Bloomberg news

Leia também

YouTube removerá vídeos com informações falsas sobre vacinas

Boca Juniors negocia emissão de tokens