PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Mundo pode ter apagão de brinquedos antes mesmo da Black Friday

Interrupções na cadeia de suprimentos e alta demanda motivam escassez de produtos para crianças

Tamagotchi, famoso "bichinho virtual", deve ser um dos produtos em alta para as compras de fim de ano
Por Kelly Gilblom e Augusta Saraiva
25 de Setembro, 2021 | 10:28 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os brinquedos mais populares para as crianças – desde os favoritos nostálgicos aos itens baratos popularizados pelo TikTok – podem se esgotar muito antes das festas de final do ano como resultado de interrupções na cadeia de suprimentos global.

A falta de trabalhadores na China, a escassez de contêineres e os gargalos no transporte de contêineres para os navios estão contribuindo para a escassez, dizem especialistas da indústria de brinquedos. Isso pode tornar mais as compras de Natal mais difíceis ou caras.

É quase certo que os estoques ficarão escassos até a Black Friday, o movimentado dia de compras após o feriado de Ação de Graças dos Estados Unidos, comemorado na quarta quinta-feira do mês de novembro, que este ano cai no dia 25.

Entre os itens que devem estar em alta este ano estão os bichinhos virtuais Tamagotchi, um “robô que aprende” da Fisher-Price, marca da Mattel, e uma cozinha com o logotipo do desenho infantil As Pistas de Blue, segundo listas compiladas pelas publicações da indústria Toy Insider e Toys, Tots, Pets & More.

PUBLICIDADE

“As coisas estão presas nos portos e estão demorando mais algumas semanas”, disse Marissa Silva, editora-chefe da Toy Insider.

Além de lidar com as interrupções na cadeia de suprimentos, a indústria de brinquedos também está lidando com uma demanda extraordinária. As vendas cresceram 15% no primeiro semestre de 2021, chegando a US$ 22,5 bilhões em relação ao ano anterior, segundo a pesquisadora NPD Group. Isso se soma ao crescimento acelerado do ano passado, quando pais com filhos em confinamento durante a pandemia voltaram-se para o entretenimento doméstico.

Grandes empresas, como a Hasbro, tiveram de fechar contratos com novos portos e navios para trazer remessas da China, onde cerca de metade de seus produtos são fabricados, disse o CEO Brian Goldner em uma conferência. A empresa também fabrica brinquedos no Vietnã, Índia e Irlanda, entre outros países. As dificuldades levaram a Hasbro a aumentar os preços neste trimestre.

As pequenas empresas tiveram de rejeitar alguns pedidos de varejistas devido a dificuldades de envio, disse Silva. Embora haja pouco risco de prateleiras vazias, os pais podem ter menos opções, segundo Ed Desmond, porta-voz da Toy Association, um grupo comercial.

PUBLICIDADE

Veja mais: Como vídeos de unboxing no YouTube deram vida à nova face da indústria de brinquedos

“Não temos certeza de que, se seu filho ou as crianças dos EUA estiverem procurando um brinquedo específico, ele estará disponível”, disse Desmond em entrevista coletiva no porto de Los Angeles na semana passada.

Outros itens populares identificados pela Toy Insider em uma lista de 20 itens para as compras de fim de ano divulgada na quarta-feira (22) incluem um “castelo comemorativo” da marca Disney e com tema de princesa, brinquedos de pelúcia chamados Squishmallows e um “caldeirão mágico” da Moose Toys, com o qual as crianças podem fazer um “feitiço” e obter um brinquedo surpresa.

As mídias sociais ajudaram especificamente a aumentar a popularidade dos brinquedos, com um item específico (uma peça de silicone que lembra plástico bolha) que ficou famoso em vídeos do TikTok, em vez da publicidade tradicional.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Transportadoras de contêineres marítimos têm maior lucro desde 2008