PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Robinhood testa discretamente carteira de criptomoedas

Evidência apareceu numa versão beta do aplicativo da empresa para iPhone, que tem código de transferências de moedas

Carteiras de cripto s fornecem um único local para os clientes armazenarem todas as suas moedas virtuais, protegidas por uma chave privada.
Por Annie Massa e Mark Gurman
20 de Setembro, 2021 | 09:15 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Robinhood Markets Inc. vem testando novos recursos envolvendo transferência de ativos e uma carteira de criptomoedas no seu aplicativo, em um movimento bastante aguardado pelos usuários e que facilitará o recebimento e envio moedas digitais.

PUBLICIDADE

A evidência de tais recursos apareceu numa versão beta de seu aplicativo para iPhone. O software inclui uma imagem oculta que representa uma página de lista de espera para usuários que se inscrevem em um recurso de carteira de criptos. O aplicativo também possui um código referente a transferências de criptomoedas.

Veja mais: Bitcoin despenca em dia de selloff global

PUBLICIDADE

Com as carteiras cripto, os consumidores podem usar moedas virtuais sem ter que convertê-las em dólares. Elas também fornecem um único local para os clientes armazenarem todas as suas moedas virtuais, protegidas por uma chave privada.

As ações da Robinhood saltaram 2,1%, para US$ 41,54 no final do pregão, depois que a Bloomberg informou sobre o teste, antes de reduzir os ganhos. As ações subiram 7,1% desde sua oferta pública inicial em julho.

Embora já seja possível para os clientes do Robinhood comprar e vender criptomoedas populares, como Bitcoin, Ethereum e Dogecoin, esta seria a primeira vez que eles poderiam gerenciar todas as suas criptos por meio de uma carteira no aplicativo. Outras empresas, incluindo Coinbase Global Inc. e Gemini Trust Co., já oferecem carteiras próprias.

Veja mais: Por que a Solana valorizou tanto em pouco tempo?

O CEO da Robinhood, Vlad Tenev, disse que adicionar carteiras de cripto é uma prioridade para os desenvolvedores da empresa.

PUBLICIDADE

“É algo em que nossas equipes estão trabalhando”, disse ele em uma chamada após a divulgação dos resultados do segundo trimestre da empresa, observando que o recurso é especialmente solicitado entre os entusiastas do Dogecoin. “A capacidade de depositar e sacar criptomoedas é difícil de fazer com escala, e queremos ter certeza de que isso é feito de maneira correta e adequada.”

Ele não revelou quando tal lançamento ocorreria, mas o suporte e os testes em seu aplicativo sugerem que a estreia pode estar próxima. Lavinia Chirico, porta-voz da Robinhood de Menlo Park, Califórnia, não quis comentar.

Os clientes do Robinhood também terão a possibilidade de configurar a autenticação de dois fatores para usar o recurso. As ofertas planejadas foram descobertas pelo desenvolvedor de software Steve Moser.

Veja mais: Investigações contra Binance incluem ‘insider trading’ e manipulação de mercado

A negociação virtual de moedas impulsionou o crescimento da Robinhood no último trimestre, representando cerca de 41% de sua receita líquida durante o período. Dos cerca de US$ 233 milhões em receita gerados com as negociações de criptomoedas, cerca de 62% vieram apenas das transações do Dogecoin, ressaltando o importante papel que a negociação de moeda digital desempenhou para a empresa.

Os novos recursos de cripto estão sendo testados como parte de um “programa alfa”, de acordo com as informações contidas no código. Os usuários precisarão ativar o envio e recebimento de criptos e a página de inscrição exigirá uma verificação de identidade. “Conclua as etapas para começar a enviar e receber criptos”, diz uma mensagem.

PUBLICIDADE

O código oculto nas versões beta do aplicativo Robinhood foi anteriormente um prenúncio de novos recursos. Em julho, a Bloomberg News informou sobre um código que indicava que a empresa estava trabalhando na proteção contra a volatilidade dos preços e pedidos recorrentes para compras de criptos. A Robinhood lançou esses recursos na semana passada.

Veja mais em bloomberg.com