PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ibovespa derrete mais de 3% em dia de forte tensão nos mercados

Bolsas globais têm maior baixa em mais de seis meses; dólar sobe mais de 1% e volta a R$ 5,35 no Brasil

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O Ibovespa despenca na tarde desta segunda-feira (20) e o dólar avança, em um dia negativo no mercado externo, com feriados na Ásia, preocupações sobre a crise envolvendo a incorporadora chinesa Evergrande, além das expectativas pelas decisões de bancos centrais que serão divulgadas ao longo da semana em diversos países.

  • A bolsa opera na casa dos 107.000 pontos no Ibovespa, caindo mais de 3%. Além da questão da Evergrande, novas medidas de Pequim em relação alguns setores da economia derrubaram o preço do minério de ferro, impactando o desempenho de companhias de siderurgia e mineração, que têm forte peso no índice acionário brasileiro.
  • O dólar segue em alta, sendo contaminado tanto pelo cenários no exterior difícil quanto pelos impasses locais que ainda seguem sem definições, como a situação fiscal do país diante da investida do governo no aumento dos benefícios sociais como o Bolsa Família.

Nos Estados Unidos, os movimentos dos investidores são balizados também pelas expectativas sobre a próxima reunião do Federal Reserve, que acontece na quarta-feira (22). “Mercado está apreensivo esperando alguma pista sobre um cronograma de retirada de estímulos”, diz Camila Abdelmalack, Economista-chefe na Veedha Investimentos.

PUBLICIDADE

Na China, cresce a preocupação sobre a incorporadora mais endividada do mundo, a Evergrande, devido ao silêncio de autoridades sobre uma possível intervenção do governo para evitar um colapso. As incertezas provocaram a maior onda vendedora de ações do setor imobiliário em Hong Kong em mais de um ano e atingiu vários segmentos, como papéis de bancos, de seguradoras como a Ping An Insurance e dívidas de alto rendimento em dólares.

Mercado agora

  • Câmbio: Perto das 15h30, o dólar operava em alta de 1,22%, a R$ 5,35
  • Bolsa: O Ibovespa caía 3,28%, a 107.766 pontos
    • Lideravam as perdas percentuais PetroRio (PRIO3), Braskem (BRKM5) e Via (VIIA3). As ações da Copel (CPLE6), Cemig (CMIG4) e Sabesp (SBSP3) eram destaques positivos
  • Juros: A taxa para janeiro de 2022 sobe 0,015 ponto, a 7,08%, enquanto a para janeiro de 2025 recua 0,15 ponto, a 10,15%
  • Exterior: Em Nova York, os principais índices operam no vermelho. O Dow Jones cai 2,43%, o S&P 500 2,46% e o Nasdaq, 2,91%

Leia também

Emergentes retomam emissões de títulos à espera de sinais do Fed

PUBLICIDADE

Ouro e Bitcoin não têm como superar o dinheiro, diz BlackRock

Como conciliar carreira e família?

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.

PUBLICIDADE