PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Mais inflação? Economia eleva projeção do IPCA para 2021

Boletim ressalta que risco hidrológico e uma possível piora da pandemia devem ser observados com cautela

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia divulgou nesta quinta-feira (16) o novo Boletim MacroFiscal de setembro, e elevou a projeção da inflação oficial do país para o fim deste ano. A expectativa do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 5,9% para 7,9% em 2021 - e não parou por aí.

Para 2022, a projeção de IPCA passou de 3,5% para 3,75%. Já “a partir de 2023, a projeção converge para a meta: 3,25% e 3% de 2024 em diante”.

PUBLICIDADE

De acordo com a SPE, o aumento visto na inflação “é decorrente de elevações significativas nos preços dos combustíveis e da energia elétrica, diante dos reajustes no preço do gás e das alterações nas bandeiras tarifárias, respectivamente.”

Veja mais: Guedes: Inflação estará de volta a 4% até o final de 2022

Já a estimativa para o PIB (produto interno bruto) se manteve em 5,3% para 2021. “A partir de 2022, a projeção de crescimento do PIB é de 2,5%. Esperam-se efeitos positivos das reformas pró-mercado e do processo de consolidação fiscal.”

PUBLICIDADE

Segundo a secretaria do ministério, as expectativas positivas para o próximo ano se fundamenta na “continuidade da expansão do setor privado e em efeitos positivos das reformas pró-mercado e do processo de consolidação fiscal”, ressaltando a necessidade de “aprofundamento” da agenda.

No entanto, o boletim ressalta que “os riscos no cenário prospectivo, principalmente o hidrológico e um possível recrudescimento da pandemia, devem ser observados com cautela, avaliando os seus impactos para a economia brasileira”.

Leia também

PUBLICIDADE

SpaceX leva para o espaço quatro pessoas no primeiro voo apenas com civis

Hapvida e SulAmérica apresentam ofertas para compra do Grupo HB Saúde

CEO da Chevron alerta para preços altos e escassez de energia

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE