PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Diques e bombas resistem, mas energia falha em Nova Orleans

Um total de mais de 1,2 milhão de residências e empresas na Louisiana e no Mississippi ficaram sem energia

Bourbon Street fica deserta durante tempestade
Por David R. Baker, Mark Chediak e Josh Saul
31 de Agosto, 2021 | 08:52 am
Tempo de leitura: 3 minutos

A infraestrutura na cidade de Nova Orleans teve um desempenho razoável contra a fúria do furacão Ida, com diques e bombas evitando inundações catastróficas, mesmo quando a rede elétrica falhou espetacularmente.

Os ventos fortes do Ida, de 150 milhas (240 quilômetros) por hora na chegada ao continente, desligaram todas as oito linhas de transmissão que fornecem energia para Nova Orleans e ainda derrubaram postes de energia e fizeram uma torre de transmissão de aço virar um amontoado de metal retorcido, interrompendo o fornecimento de eletricidade para toda a cidade.

Um total de mais de 1,2 milhão de residências e empresas na Louisiana e no Mississippi ficaram sem energia. Enquanto cerca de 90 mil clientes foram reconectados na tarde de segunda-feira, muitos ainda podem enfrentar dias sem eletricidade.

Em contraste, o plano de defesa contra enchentes da área de Nova Orleans parece ter se mantido, uma vitória do projeto de US$ 14,5 bilhões do Corpo de Engenheiros do Exército para reconstruir diques, comportas e bombas na esteira da devastação provocada pelo furacão Katrina em 2005. Embora tenham ocorrido relatos de mortes ligadas ao Ida, a cidade escapou do tipo de inundação que destruiu bairros inteiros na época do Katrina, além de deixar partes da cidade inabitáveis por meses e causar 1.800 mortes.

PUBLICIDADE

“A situação em Nova Orleans, por pior que seja hoje com o comando, poderia ser muito pior”, disse o governador da Louisiana, John Bel Edwards, no Today Show, elogiando o desempenho do sistema de dique. “Tudo que você precisa fazer é voltar 16 anos para ter um vislumbre de como teria sido.”

Embora a resiliência dos diques seja, sem dúvida, devido ao esforço de reconstrução que se seguiu ao Katrina, os resultados totalmente diferentes também derivam das diferentes características das tempestades. O Katrina atingiu a costa com uma tempestade de 30 pés de água do oceano, enquanto as estimativas preliminares do Ida colocaram sua águas bem mais baixas.

Os ventos do Ida, no entanto, eram mais fortes do que os do Katrina, e foi isso que acabou destruindo tantas linhas de energia. Deanna Rodriguez, diretora-executiva da fornecedora de energia Entergy New Orleans, não quis comentar sobre quando o serviço será normalizado, dizendo que a empresa está usando helicópteros e drones para ajudar a avaliar os danos.

Michael Webber, professor de energia e engenharia da Universidade do Texas em Austin, estimou que a restauração da energia levará dias e possivelmente semanas com base nos relatórios de danos iniciais da tempestade. Mais de 25 mil trabalhadores de pelo menos 32 estados e de Washington estão mobilizados para ajudar nos esforços de restauração de energia, de acordo com o Edison Electric Institute.

PUBLICIDADE

“A questão é quanto tempo levará para reconstruir essas linhas”, disse Webber. As concessionárias precisarão primeiro concluir suas avaliações de danos antes de ter uma noção dos prazos de reparo, disse ele. “Você pode imaginar que isso levará dias, pelo menos, possivelmente semanas.”

A perda de eletricidade também terá outros efeitos. As subestações de esgoto, por exemplo, precisam de eletricidade para manter as águas residuais em movimento, disse Ghassan Korban, diretor executivo do New Orleans Sewerage & Water Board. A tempestade cortou a energia de cerca de 80 das 84 estações de bombeamento da cidade, disse ele em uma entrevista coletiva na segunda-feira. “Sem eletricidade, o esgoto aumenta e pode causar transbordamentos”, disse ele, acrescentando que os moradores devem conservar água para diminuir o estresse no sistema.

--Com a assistência de Naureen S. Malik.

Leia também

Vacina contra Covid: Brasil supera os EUA na contagem da primeira dose

China reduz tempo de jogos para crianças para três horas por semana

Como um simples contêiner parado pode explicar a crise do comércio global?