Mercados

Títulos chineses seguem sob pressão, apesar de injeção de dinheiro do PBOC

Questão agora é se a queda nos mercados de títulos fará com que o banco central chinês adicione dinheiro em ritmo mais acelerado

Contratos futuros de títulos soberanos da China de 10 anos caíram 0,35%
Por Chester Yung e James Mayger
26 de Agosto, 2021 | 10:32 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Futuros de títulos da China foram os que mais caíram em duas semanas em meio a preocupações com a regulação de gestão de fortunas, mesmo depois que o banco central adicionou dinheiro aos mercados monetários para manter os níveis de liquidez interbancária.

Contratos futuros de títulos soberanos da China de dez anos caíram 0,35%, a maior queda desde 13 de agosto, para 99,78. O rendimento dos títulos soberanos de 10 anos subiu 3 pontos base, para 2,89%. Isso ocorreu depois que o Banco Popular da China adicionou 40 bilhões de yuans (US$ 6,2 bi) de liquidez por meio de seus acordos de recompra reversa de sete dias na quarta e quinta-feira, para ajudar a manter a estabilidade do mercado monetário no final do mês.

Veja mais: Wall Street prepara retomada das negociações com a China

O sentimento do mercado de títulos parece ter sido prejudicado por um relatório da Caxin de que as autoridades chinesas criaram requisitos mais específicos para avaliar produtos de gestão de fortunas dos bancos e estabeleceram prazos anteriores para a alienação de certos ativos de crédito e patrimônio não padrão.

PUBLICIDADE

“Regulamentações mais rígidas sobre produtos de gestão de fortunas bancárias geraram preocupações de demandas mais fracas por títulos no buy-side e possíveis choques de liquidação”, escreveu Qin Han, analista da Guotai Junan Securities, em nota.

A questão agora é se a queda nos mercados de títulos fará com que o banco central adicione dinheiro aos mercados em ritmo mais rápido, ou se o PBOC continuará com a atual política de injeções limitadas. As taxas de juros no mercado de recompra ficaram estáveis ou caíram na quinta-feira, após uma forte alta desde o final da semana passada, indicando que os bancos estavam sob menos estresse para obter financiamento no mercado interbancário.

“A injeção de hoje foi provavelmente uma extensão do que foi feito ontem para aliviar o aperto de financiamento de curto prazo”, afirmou Winson Phoon, chefe de pesquisa de renda fixa do Maybank Eng Kim Securities Pte em Cingapura. “Isso não muda a postura neutra de liquidez do PBOC”, disse ele, acrescentando que os legisladores estão tentando fazer apenas o suficiente para garantir que a liquidez seja suficiente para manter o financiamento estável.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia mais

STF adia decisão sobre autonomia do Banco Central para amanhã

Guedes alerta: teto de gastos está em risco

Presidente do Senado decide rejeitar pedido de impeachment contra Moraes


PUBLICIDADE