Negócios

Oi espera deixar recuperação judicial até o segundo trimestre de 2022

Companhia aguarda aval regulatório à venda de controle de ativos de fibra óptica para o BTG

Rodrigo Abreu disse que assinatura do acordo para venda do controle da V.Tal para o BTG deve ocorrer em breve
05 de Agosto, 2021 | 02:41 pm
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — O grupo de telecomunicações Oi espera sair da recuperação judicial até o início do segundo trimestre de 2022. A previsão foi feita nesta quinta-feira (5) pelo CEO da companhia, Rodrigo Abreu, durante uma entrevista coletiva de lançamento da nova marca da empresa de rede neutra, a V.Tal.

Em leilão realizado em abril, o BTG Pactual e a Globenet, companhia de cabos submarinos administrada por fundos de private equity do banco de André Esteves, arremataram o controle da InfraCo, unidade de negócios de fibra óptica da Oi, que mudou agora o nome para V.Tal.

O negócio ainda depende de aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

A conclusão da transação é fundamental para a Oi sair da recuperação judicial, situação em que se encontra desde 2016, e está prevista em seu plano de reestruturação.

Nesta quinta, a ação ON da Oi (OIBR3) cai 1,68%, cotada a R$ 1,17, acumulando desvalorização de 26,87% em 30 dias e 24,51% em 12 meses.

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE