Mercados

BCE analisou política de inflação do Fed para estratégia: Fontes

Expectativas dos EUA demoraram a avançar em agosto passado, quando o Fed adotou meta de inflação média

BCE estudou acomodação de expectativas de inflação do Fed
Por Carolynn Look
27 de Julho, 2021 | 11:57 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Blomberg — Autoridades do Banco Central Europeu (BCE) reconheceram que a nova estratégia para elevar as expectativas de inflação pode demorar um pouco para surtir efeito, de acordo com pessoas a par das discussões.

Na revisão de estratégia deste mês, quando elevou a meta de inflação e reconheceu que poderia ultrapassá-la, o Conselho do BCE analisou a experiência do Federal Reserve dos EUA, disseram as autoridades.

As expectativas dos EUA - um indicador essencial de alta futura dos preços - demoraram a avançar em agosto passado, quando o Fed adotou uma meta de inflação média e disse que estava disposto a ultrapassar o objetivo de 2%. Só começaram a ganhar ritmo meses depois, quando o novo governo Biden iniciou o debate de gastos fiscais para estimular a economia.

As expectativas aceleraram novamente no início do ano, quando o Fed manteve a política frouxa, apesar dos preços subirem bem acima de 2% com o aumento da demanda. Embora as expectativas tenham diminuído desde maio, quando autoridades do Fed começaram a abordar o tema da redução do estímulo, permanecem relativamente altas.

PUBLICIDADE

Da mesma forma, houve pouco impacto nas expectativas da zona do euro ou nas apostas de aumentos das taxas de juros, mesmo depois que o BCE deu seguimento à revisão de estratégia, reforçando seu compromisso de manter os custos de financiamento baixos.

A experiência do Fed deve ajudar a amenizar quaisquer preocupações do BCE sobre a resposta amplamente ambivalente de investidores e economistas na semana passada. Relatórios dos analistas geralmente descreveram a nova linguagem e a coletiva de imprensa da presidente do BCE, Christine Lagarde, como “dovish”, ou inclinada ao afrouxamento monetário, mas sem muitos detalhes.

“É difícil ver um impacto significativo no crescimento de curto prazo e na dinâmica da inflação a partir da promessa de aumentar os juros um pouco mais tarde”, disse Oliver Rakau, economista da Oxford Economics, em relatório. “Continuamos a pensar que alguma resposta política de curto prazo, como um aumento imediato na flexibilização quantitativa, teria beneficiado a credibilidade da nova estratégia.”

Um porta-voz do BCE não quis comentar as deliberações do conselho.

PUBLICIDADE

Na revisão de estratégia do BCE, a meta de inflação foi elevada para 2% em vez de “abaixo, mas perto de 2%”. Na decisão de política monetária duas semanas depois, as autoridades disseram que as taxas de juros permanecerão nos níveis atuais ou mais baixas até que as projeções de inflação estejam em linha com a meta “bem à frente” do fim do horizonte da previsão, um período que pode se estender por até três anos.

Leia mais em bloomberg.com