Internacional

Aumento do preço da tortilha leva México a considerar importação de milho

Inflação na segunda maior economia da América Latina chegou a cerca de 6% no segundo trimestre, motivada pelos preços de combustíveis e alimentos

Tortilhas de milho sendo pesadas em uma instalação em San Andres Cholula, estado de Puebla, México.
Por Maya Averbuch
05 de Julho, 2021 | 06:00 am
Tempo de leitura: 2 minutos

(Bloomberg) O México está considerando aumentar as importações de milho e segurar os preços do gás de cozinha devido ao aumento inflacionário da tortilha, alimento-base das famílias do país.

A inflação na segunda maior economia da América Latina chegou rapidamente a cerca de 6% no segundo trimestre, motivada pelos preços de combustíveis e alimentos. O aumento levou o banco central a aumentar a principal taxa de juros em 0,25 ponto percentual na última semana, surpreendendo economistas, que projetam a desaceleração da inflação, chegando a 5,58% até o fim do ano.

“Podemos controlar a situação de diferentes maneiras. No caso do preço do gás, vamos estabelecer um teto, embora os tecnocratas não apreciem”, afirmou o presidente Andres Manuel Lopez Obrador na sexta-feira, referindo-se às medidas para combater a inflação. “Quanto às tortilhas, existem outros mecanismos, como a abertura das importações de milho para obtermos maior concorrência”.

Andres Manuel Lopez Obrador, presidente do México, discursando durante uma coletiva de imprensa na Cidade do México, no México, em 18 de fevereiro de 2021. O México registrou 4,77 de famílias e negócios sem energia na segunda-feira, após a redução das importações de gás natural dos Estados Unidos, desligando as usinas elétricas. Apesar da escassez de gás, o México não vai aumentar os preços da eletricidade, declarou Lopez Obrador.

PUBLICIDADE

O presidente, conhecido como AMLO, prometeu no início do mandato não permitir que os preços de gás e eletricidade para o consumidor aumentassem além da taxa média de inflação. Contudo, o gás liquefeito de petróleo utilizado na cozinha das famílias mexicanas ficou consistentemente entre os maiores contribuidores da inflação neste ano. Além disso, os preços da tortilha aumentaram 2,6% em maio, em comparação com o mês anterior.

“O investimento estrangeiro tem aumentado, a economia está se recuperando e estamos gerando mais empregos. Só me preocupo com a inflação. Precisamos garantir que vamos controlá-la apesar da pressão externa, pois gastamos muito nos Estados Unidos”, afirmou AMLO em sua coletiva de imprensa diária.

O presidente argumentou que o México não era autossuficiente na produção do mínimo necessário para a fabricação da tortilha, levando a oscilações no preço. Também adicionou que, principalmente em cidades como a Cidade do México, práticas de monopólio aumentaram o preço do gás de cozinha, prática que ele prometeu que seu governo combateria.

AMLO também disse que concordou com a decisão do banco central de aumentar os custos de empréstimos como forma de domar a inflação. Em 24 de junho, o banco aumentou a taxa principal para 4,25%, primeiro aumento desde o fim de 2018.

PUBLICIDADE

“Foi uma mudança adequada”, afirmou o presidente sobre a decisão. “O alto custo de vida afeta muito a inflação”.

--Com assistência de Cyntia Barrera Diaz.

Leia mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE