Netflix tem melhor início de ano desde 2020 com novos programas e repressão a senhas

Maior plataforma de streaming do mundo ganhou 9,33 milhões de assinantes no 1º trimestre, quase o dobro da média das projeções de analistas, mas mercado teme efeito limitado

Netflix signage next to the Nasdaq MarketSite in New York, U.S., on Friday, Jan. 21, 2022. With the worst start of a year in more than a decade and a $2.2 trillion wipeout in market value, the Nasdaq Composite Index couldn’t have had a messier kickoff to 2022. Photographer: Michael Nagle/Bloomberg
Por Lucas Shaw
18 de Abril, 2024 | 08:04 PM

Bloomberg — A Netflix registrou no primeiro trimestre seu melhor início de ano desde 2020, atraindo mais novos clientes do que qualquer analista de Wall Street esperava, graças a uma ampla grade de programação original e a uma política de repressão ao compartilhamento de senhas.

A Netflix (NFLX) adicionou 9,33 milhões de assinantes no primeiro trimestre de 2024, de acordo com o balanço divulgado nesta quinta-feira (18) depois do fechamento do mercado, quase o dobro da média de 4,84 milhões das estimativas dos analistas que cobrem a empresa.

A maior plataforma de streaming do mundo atraiu novos clientes em diferentes países, com força particular nos Estados Unidos e no Canadá. Esses novos assinantes ajudaram a Netflix a superar as previsões de receitas e lucros também.

Leia mais: Iger ganhou a batalha na Disney, mas ainda tem a guerra em questões culturais

PUBLICIDADE

A Netflix se recuperou de uma desaceleração em 2021 e 2022 para crescer em seu ritmo mais rápido desde os primeiros dias da pandemia de coronavírus. Isso se deveu em grande parte às medidas de repressão às pessoas que estavam contas com as senhas “emprestadas” de outra pessoa.

A empresa estimou que mais de 100 milhões de pessoas estavam usando uma conta pela qual não pagavam. Embora os executivos da Netflix temessem uma reação negativa dos clientes, a empresa conseguiu convencer milhões desses usuários a pagar pelo acesso.

Apesar do crescimento reportado, no entanto, as ações da Netflix caíram até 7,4% nas negociações do after market, para US$ 565,50, antes de recuperar uma parte da perda, para queda perto de 5%.

As expectativas para o primeiro trimestre da Netflix dispararam nos últimos dias, à medida que um analista após outro publicava previsões otimistas.

Em sua carta aos investidores nesta quinta, a empresa disse que os ganhos de assinantes serão menores neste período já iniciado do segundo trimestre, enquanto a receita aumentará 16%.

Crescimento de assinaturas da Netflix no primeiro trimestre foi quase o dobro da média das estimativas de mercadodfd

A Netflix também disse que deixará de divulgar a cada trimestre a adesão paga e a receita por assinante, a partir do primeiro trimestre de 2025.

Essas métricas têm sido há muito tempo a principal forma como Wall Street avali o desempenho da empresa, mas a Netflix tentou mudar o foco para medidas tradicionais como vendas e lucro. A administração continuará a relatar marcos importantes de assinantes.

PUBLICIDADE

“O movimento para não mais divulgar as assinaturas trimestrais a partir do próximo ano não será bem recebido”, disse Paolo Pescatore, fundador e analista da PP Foresight, em e-mail à Bloomberg News. “Ainda mais dado o crescimento de assinantes que o rei do streaming viu ao longo do último ano.”

Esses novos clientes têm tido muito o que assistir.

A Netflix entregou um novo sucesso a cada duas semanas até agora neste ano, incluindo séries limitadas como Fool Me Once (A Grande Ilusão na versão em português) e Griselda, os dramas The Gentleman (Magnatas do Crime) e 3 Body Problem (O Problema dos 3 Corpos) e o reality show Love Is Blind (Casamento às Cegas).

O serviço de streaming responde por cerca de 8% da visualização de TV nos EUA - e é uma das principais redes de TV na maioria dos principais mercados de mídia do mundo.

“Com mais de duas pessoas por domicílio, temos uma audiência de mais de meio bilhão de pessoas”, disse a empresa em sua carta. “Nenhuma empresa de entretenimento já montou programação nessa escala e com essa ambição antes.”

O recente crescimento levou as ações da Netflix de volta às máximas históricas, o que atribuiu à empresa um valor de mercado de mais de US$ 260 bilhões. Ela estabeleceu um recorde de fechamento de todos os tempos de US$ 691,69 a ação em novembro de 2021.

Alguns analistas, no entanto, estão preocupados que a ação da Netflix esteja mais uma vez sendo negociada com um valuation que excede em muito os fundamentos do negócio.

A empresa registrou receitas com vendas de US$ 9,33 bilhões, um aumento de 15%, superando as estimativas de US$ 9,26 bilhões. O lucro líquido cresceu para US$ 2,33 bilhões, o equivalente a US$ 5,28 por ação, também acima das projeções.

Esses números estão abaixo daqueles de empresas com valores de mercado menores, o impulso da repressão ao compartilhamento de contas é temporário e os executivos da Netflix têm relutado em estabelecer um cronograma firme para quando esse crescimento irá parar.

Leia mais: Como a Globo Ventures mira além do retorno com seus investimentos em startups

No entanto mesmo analistas céticos ficaram impressionados com o desempenho recente da empresa, aumentando seus preços-alvo para orientar investidores.

Para sustentar seu crescimento no futuro, a Netflix também introduziu uma versão mais barata, com suporte a anúncios, de seu serviço direcionada a clientes mais sensíveis a preços.

A plataforma também começou a investir em programação ao vivo, incluindo especiais de stand-up, eventos esportivos especiais e uma luta de boxe que terá Mike Tyson.

Aproximadamente 40% dos novos clientes da Netflix estão selecionando a opção de publicidade nos mercados em que esse plano está disponível, disse a empresa. O nível de anúncios ainda é considerado minúsculo em comparação com gigantes do vídeo online como o YouTube, do Google.

Veja mais em Bloomberg.com