Xiaomi entra no mercado de veículos elétricos na China para disputar com Tesla e BYD

Empresa começará a vender o modelo SU7, resultado de um investimento de US$ 10 bilhões no maior mercado de veículos elétricos do mundo

Xiaomi SU7 Electric Vehicle On Display at Stores
Por Bloomberg
28 de Março, 2024 | 11:45 AM

Bloomberg — O rali de ações da Xiaomi, que adicionou US$ 8 bilhões em valor de mercado este ano, enfrenta um teste crucial com a revelação do primeiro veículo elétrico (VE) da gigante de tecnologia nesta quinta-feira (28), enquanto a empresa tenta se impor em um mercado desconhecido e com intensa competição.

A empresa começará a vender o modelo SU7 na China, resultado de um investimento de US$ 10 bilhões no maior mercado de veículos elétricos do mundo, dominado pela Tesla (TSLA) e pela BYD. O sedã deve disputar o segmento mais competitivo, com base em previsões de preços por analistas.

O bilionário cofundador Lei Jun chamou o desafio de “seu mais recente grande empreendimento”, testando a capacidade da Xiaomi de entrar em um mercado cada vez mais cheio de competidores.

Com uma guerra de preços de VEs na China, a recepção para o SU7 provavelmente ditará o ímpeto das ações da Xiaomi após um ganho de 22% desde a baixa em fevereiro.

PUBLICIDADE
Xiaomi Enters China’s Crowded EV Market | Out of 129 brands, only 20 have more than 1% market sharedfd

“O negócio de VE provavelmente deve pesar sobre a lucratividade da Xiaomi até que atinja escala, mas esperamos que isso seja um impulsionador positivo do preço das ações na fase inicial durante os primeiros envios em volume”, escreveram analistas do JPMorgan Chase (JPM), incluindo Gokul Hariharan, em uma nota. O mercado espera mais de 50.000 remessas nos primeiros 12 meses do lançamento do SU7, acrescentaram.

As ações da Xiaomi subiram até 3% em Hong Kong antes da cerimônia de lançamento do sedã que estava agendada para esta quinta.

O mercado de carros eletrificados da China deverá desacelerar pelo segundo ano consecutivo, com um importante órgão da indústria prevendo que o crescimento das vendas em 2024 caia para 25%, ante 36% no ano passado e 96% em 2022.

PUBLICIDADE

A líder do mercado, BYD, tem como meta um aumento de 20% nas vendas este ano depois de vender três milhões de carros de nova energia em 2023. O jogador menor Li Auto entregou cerca de 376.000 unidades no ano passado.

As estimativas de preços dos bancos de Wall Street para o sedã da Xiaomi variam de 200.000 yuan (US$ 27.667) a 300.000 yuan. Uma reportagem da mídia local citou um preço inicial de 266.000 yuan para a versão padrão do SU7, que significa Super Velocidade. Lei disse que o carro pode ir de 0 a 100 km/h em 2,78 segundos.

A Xiaomi ainda não divulgou quanto o SU7 custará. Lei insinuou anteriormente que não seria 99.000 yuan, como alguns nas redes sociais haviam brincado. Carros com as mesmas especificações muitas vezes custam 400.000 yuan ou mais, disse ele.

“Se meu palpite estiver correto, a faixa de 200.000 a 250.000 yuan, na verdade, é o segmento mais competitivo no mercado de VE da China no momento”, disse Johnson Wan, analista da Jefferies Financial Group Inc.

Xiaomi Outperforms China Tech Peers Since Feb.dfd

A força dos pedidos iniciais e o feedback dos consumidores para o SU7 serão de grande interesse para os investidores. Os otimistas apostam que a Xiaomi vai emular o sucesso inicial da gigante da tecnologia Huawei em suas incursões em VEs.

Em vez de construir seu próprio modelo, a Huawei se associou a pelo menos cinco fabricantes de automóveis para produzir veículos elétricos, aproveitando sua forte base de fãs de smartphones, tecnologia exclusiva e recursos de conectividade. Sua marca parceira Aito já era a mais vendida da China entre os novos EVs por dois meses consecutivos.

Embora a Xiaomi também desfrute de um grande número de seguidores, seu modelo de negócios de VE é diferente e mais custoso. Enquanto a guerra de preços acirrada continua, poucos fabricantes locais conseguiram se manter lucrativos além da BYD e da Li Auto.

PUBLICIDADE

O analista Timothy Zhao, do Goldman Sachs Group (GS), espera que a Xiaomi acumule 14 bilhões de yuans em vendas de VEs em 2024, com base em remessas de 65.000 unidades e um preço médio de venda de 225.000 yuans. A empresa teve vendas totais de 271 bilhões de yuans no ano passado.

“Vemos a revelação do primeiro modelo de VE inteligente da Xiaomi como uma janela para o mercado reavaliar suas novas iniciativas”, escreveu Zhao em uma nota.

Veja mais em Bloomberg.com