Honda investirá US$ 65 bi em uma década para impulsionar veículos elétricos

Montante, que será investido até o ano fiscal de 2031, abrangerá áreas como software e pesquisa, bem como o estabelecimento de cadeias de suprimentos em mercados-chave

A montadora pretende reduzir custos de fabricação de elétricos em cerca de um terço
Por Supriya Singh
16 de Maio, 2024 | 11:49 AM

Bloomberg — A Honda vai investir 10 trilhões de ienes (US$ 65 bilhões) em sua estratégia de eletrificação nesta década, pois espera que a demanda por veículos movidos a bateria se recupere dos obstáculos de curto prazo.

O gasto, que ocorrerá até o ano fiscal de 2031, abrangerá áreas como software, pesquisa e desenvolvimento, bem como o estabelecimento de cadeias de suprimentos em mercados-chave como Estados Unidos, Canadá e Japão, disse a empresa nesta quinta-feira (16) durante sua atualização do plano de negócios.

A montadora manteve sua meta de que carros elétricos a bateria e células de combustível representem 100% das vendas globais até 2040.

Leia mais: Carro elétrico ou luxuoso? Nos EUA, receita para vender mais é cortar preços

PUBLICIDADE

Como parte dessa meta, a Honda lançará sete novos modelos de veículos elétricos globalmente até 2030, disse o CEO Toshihiro Mibe em uma coletiva de imprensa em Tóquio.

A empresa planeja começar a vender dois novos modelos de elétricos na China ainda este ano e pretende introduzir um com bateria intercambiável no Japão até o final do ano fiscal de 2026.

A Honda tem se beneficiado do apelo crescente de veículos híbridos, uma vez que as taxas de juros mais altas e a redução de subsídios prejudicam a demanda por carros totalmente elétricos.

PUBLICIDADE

E, embora a empresa continue a aumentar as ofertas de veículos híbridos – planeja vender 1 milhão este ano e está preparando o terreno para construir capacidade de 2 milhões de unidades anualmente – seus planos de investimento sinalizam que as montadoras estão confiantes na eletrificação completa a longo prazo.

O mundo está caminhando para a descarbonização e não haverá recuo nisso, disse Mibe. “Os veículos elétricos são a melhor opção para os carros”, disse ele.

A empresa planeja começar a vender dois novos modelos de elétricos na China ainda este anodfd

A segurança da cadeia de suprimentos é uma preocupação central e a Honda disse no mês passado que gastará US$ 11 bilhões para construir uma fábrica no Canadá, para começar a produzir veículos elétricos em 2028.

A montadora pretende reduzir custos de fabricação de elétricos em cerca de um terço e diminuir em 20% os custos de aquisição de baterias na América do Norte, de acordo com Mibe.

A empresa disse estar confiante em sua capacidade de obter baterias suficientes para produzir cerca de 2 milhões de veículos elétricos por ano. A Honda também precisa construir uma fábrica de elétricos no Japão, disse Mibe, sem fornecer mais detalhes.

Cerca de um quinto dos gastos planejados pela Honda nesta década será destinado à pesquisa e desenvolvimento de software para melhorar a mobilidade. A empresa se juntou à marca parceira Nissan para colaborar em tecnologia, incluindo software, à medida que as montadoras japonesas buscam recuperar participação de mercado na China.

As empresas japonesas vêm perdendo espaço para fabricantes de elétricos domésticos que são considerados pelos exigentes consumidores locais como melhores para atender a seus gostos específicos.

PUBLICIDADE

A competição acirrada tem aumentado a pressão sobre as montadoras japonesas e a Honda disse nesta semana que está reduzindo sua força de trabalho em tempo integral na China devido à queda nas vendas.

No entanto, isso não deve ser visto como um sinal de que a empresa está saindo do mercado chinês, de acordo com Mibe. “Não temos planos de desistir do mercado chinês”, disse ele.

Veja mais em bloomberg.com