C6 tem primeiro lucro mensal da história em novembro, diz Kalim

Presidente estima que C6 ainda registrará perdas no último trimestre deste ano. Primeiro trimestre de 2024 será o primeiro com lucros

Sede do C6 Bank no bairro dos Jardins, em São Paulo (Foto: Divulgação)
Por Cristiane Lucchesi
06 de Dezembro, 2023 | 01:00 PM

Bloomberg — O Banco C6, que tem o JPMorgan como sócio, teve seu primeiro lucro mensal da história em novembro, que ficará entre R$ 10 milhões e R$ 20 milhões, disse o seu presidente Marcelo Kalim em entrevista.

A receita cresceu, enquanto as despesas permaneceram estáveis e as provisões para perdas com empréstimos inadimplentes diminuíram, disse ele. A porcentagem de empréstimos a pessoas físicas com pelo menos 90 dias de atraso nos pagamentos caiu para 3,7% em novembro, de 4,6% em junho e de 5,2% no final do ano passado.

Kalim espera que as taxas de inadimplência e as provisões continuem caindo pelo menos até março do ano que vem, e que os lucros continuem crescendo.

LEIA +
Há demanda crescente do investidor por ativos em Brasil e México, diz BlackRock

Kalim estima que o C6 ainda registrará perdas no último trimestre deste ano devido aos resultados de outubro, e verá o primeiro trimestre de 2024 como o primeiro com lucros.

PUBLICIDADE

O C6 registrou uma série de prejuízos, pois o aumento das taxas de juros no Brasil tornou mais difícil para os brasileiros altamente endividados manterem seus pagamentos em dia, o que trouxe as taxas de inadimplência para níveis “maiores do que o esperado”, disse Kalim anteriormente neste ano.

O prejuízo do C6 no ano passado chegou a R$ 2,2 bilhões, acima dos R$ 692 milhões em 2021. Em agosto, o JPMorgan anunciou um acordo para aumentar sua fatia no C6 de 40% para 46%.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Wall St luta para monitorar comunicação por apps, mesmo após multas de US$ 2 bi

As empresas que mais retêm e atraem talentos no Brasil, segundo ranking da Merco