Petróleo avança após Arábia Saudita aumentar os preços da commodity na Ásia

Preço do barril do tipo Brent já sobe quase 7% este ano, apoiado pelos cortes da Opep+, tensões no Oriente Médio e custos mais altos de transporte

O benchmark global do petróleo Brent já sobe quase 7% este ano
Por Yongchang Chin
06 de Março, 2024 | 08:25 AM

Bloomberg — O petróleo subiu depois que a Arábia Saudita aumentou inesperadamente os preços de sua commodity para compradores na Ásia, e enquanto investidores aguardam pistas sobre a política monetária dos Estados Unidos pelo Federal Reserve.

O Brent (usado como referência para petroleiras globais, como a Petrobras) chegou a ser negociado acima de US$ 82 o barril depois de cair quase 2% nas duas primeiras sessões desta semana.

A decisão de Riad de elevar os preços para a Ásia seguiu um anúncio da Opep+ de que estenderia os cortes na produção até junho.

O presidente do Fed, Jerome Powell, está programado para depor perante o Congresso nesta quarta-feira (6). Embora seja esperado que ele apoie uma abordagem cautelosa para reduzir as taxas de juros no curto prazo, Powell pode deixar aberta a possibilidade de reduções no final do ano caso a inflação diminua ainda mais.

PUBLICIDADE

O benchmark global do petróleo Brent já sobe quase 7% este ano, apoiado pelos cortes da Opep+, tensões no Oriente Médio e custos mais altos de transporte devido a interrupções no transporte marítimo.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados concordaram no domingo (3) em estender os cortes na produção existentes até o fim de junho, potencialmente apertando o mercado e reduzindo os estoques.

Os estoques dos EUA também estão em foco. O American Petroleum Institute informou que os estoques nacionais aumentaram 400.000 barris na semana passada, de acordo com pessoas familiarizadas com os dados.

PUBLICIDADE

Embora esse seja um incremento relativamente pequeno, será a sexta semana consecutiva de ganhos se confirmado pelos dados oficiais divulgados nesta quarta-feira.

Spreads indicam condições sólidas. O spread imediato do Brent - a diferença entre seus dois contratos mais próximos - foi a 75 centavos de dólar por barril em backwardation. Esse é um padrão de alta que mostra que os compradores estão dispostos a pagar mais pelos barris de curto prazo. Há um mês, a diferença era de 32 centavos.

Veja mais em bloomberg.com