Minério de ferro tem pior trimestre desde 2021 com demanda fraca na China

Matéria-prima siderúrgica acumula queda de 27% desde o início do ano; na bolsa de Xangai, o vergalhão de aço caiu 15% no trimestre

A Associação Chinesa de Ferro e Aço instou as siderúrgicas a cortarem produção diante da crise imobiliária
Por James Poole
28 de Março, 2024 | 09:21 AM

Bloomberg — O minério de ferro chegou ao final de março com queda acumulada de 27% desde o início do ano, o pior desempenho trimestral desde setembro de 2021, diante da demanda fraca por aço na China.

Os futuros em Singapura se aproximaram ainda mais de US$ 100 a tonelada nesta quinta-feira (28), com queda de até 1% para US$ 100,25, antes de reverterem para uma leve alta. Os mercados estarão fechados amanhã (29) devido ao feriado de Sexta-Feira Santa.

A queda da semana, contudo, apagou a maior parte da forte recuperação da semana passada, que começou com a cotação despencando para US$ 97, em um mercado altamente volátil.

Gráfico: Minério de ferro tem maior queda trimestral desde 2021dfd

Na bolsa de Xangai, o vergalhão de aço — muito usado na construção — caiu 15% no trimestre para o nível mais baixo desde agosto. Enquanto isso, os estoques de minério de ferro se acumulam nos portos chineses.

PUBLICIDADE

A Associação Chinesa de Ferro e Aço instou as siderúrgicas a cortarem produção diante da crise imobiliária e da desaceleração das obras de infraestrutura. As usinas devem reduzir a oferta “ineficaz” para manter o equilíbrio do mercado, disse a organização setorial.

Do lado da oferta, os embarques de minério de ferro da Austrália estão aumentando. As exportações somaram 16,1 milhões de toneladas na semana até 15 de março, acima dos 13 milhões de toneladas da semana anterior, segundo dados da Marcura compilados pela Bloomberg.

Veja mais em bloomberg.com