Minério de ferro se recupera com PMI chinês após bater mínima de 10 meses

Os futuros da matéria-prima, que chegaram a cair 5,6% para US$ 96,25 a tonelada, foram negociados a cerca de US$ 102 no final da sessão

A queda de preço prejudica as receitas de mineradoras globais como BHP, Rio Tinto e Vale
Por Bloomberg News
01 de Abril, 2024 | 09:20 AM

Bloomberg — O minério de ferro fechou perto da estabilidade em Singapura depois de afundar para a cotação mais baixa em 10 meses nesta segunda-feira (1º), com uma recuperação impulsionada por dados industriais fortes na China.

Os futuros da matéria-prima, que chegaram a cair 5,6% para US$ 96,25 a tonelada, foram negociados a cerca de US$ 102 no final da sessão, pouco acima do fechamento da sexta.

Índices de gerentes de compras, conhecidos como PMI na sigla em inglês, mostraram que o setor industrial chinês começa a ganhar impulso.

O dado do governo quebrou uma sequência de contração de cinco meses e atingiu o nível mais alto em um ano, enquanto o número do grupo de mídia Caixin superou as expectativas do mercado.

PUBLICIDADE

O setor imobiliário — importante motor da demanda por aço para construção -, contudo, continua atolado em uma crise que já dura anos e mostra poucos sinais de estar chegando ao fim. O minério de ferro acumula queda de 27% no ano.

A preocupação com a demanda coincide com uma oferta relativamente folgada.

As exportações de minério da Austrália deram um salto na semana até 15 de março, e os estoques mantidos nos portos da China estão no nível mais alto em um ano, com cerca de 142 milhões de toneladas.

PUBLICIDADE

A queda de preço prejudica as receitas de mineradoras globais como BHP, Rio Tinto e Vale (VALE3).

A Associação de Ferro e Aço da China alertou na semana passada que a recessão no setor imobiliário atrasa a recuperação da demanda por aço. O PMI da indústria siderúrgica afundou para 44,2 em março, o nível mais baixo desde maio do ano passado.

Veja mais em bloomberg.com