Minério de ferro estende tombo com salto de exportações australianas

Os futuros de minério de ferro em Singapura já afundaram cerca de 30% este ano, com a deterioração dos fundamentos

Futuros de minério de ferro chegaram a cair 3,4% nesta quinta (4), para US$ 96,10 a tonelada
Por James Poole
04 de Abril, 2024 | 07:44 AM

Bloomberg — O minério de ferro estendeu seu tombo para perto da cotação mais baixa em 10 meses, diante do forte aumento dos embarques da Austrália em meio à queda da demanda por aço na China.

As remessas australianas da matéria-prima siderúrgica deram um salto de 30% na semana até 22 de março, em comparação com duas semanas antes, e dados preliminares para a semana passada apontam para um aumento adicional de quase 20%.

Enquanto isso, o preço médio na China do vergalhão de aço – usado para construção – ampliou sua queda para o nível mais baixo desde agosto, um sinal de que a crise imobiliária que já dura anos está longe de terminar.

Leia também: Deflação de bens na China deve permitir Selic mais baixa, avalia Legacy Capital

PUBLICIDADE

O setor imobiliário ainda responde pela maior parte da demanda por aço na China, e o governo tem evitado proporcionar o nível de estímulo – principalmente gastos em infraestruturas – que poderiam compensar os problemas das incorporadoras e a falta de confiança dos compradores de imóveis.

O habitual aumento da atividade de construção em março não aconteceu.

Os futuros de minério de ferro em Singapura já afundaram cerca de 30% este ano, com a deterioração dos fundamentos. Nesta quinta-feira (4), chegaram a cair 3,4% para US$ 96,10 a tonelada, um pouco acima da mínima de 10 meses de US$ 95,40 atingida na segunda-feira (1).

PUBLICIDADE

A queda contrasta com a alta do cobre, que atingiu o maior patamar em 14 meses, em meio a riscos de oferta e a melhora das perspectivas para a demanda.

Veja mais em bloomberg.com