Williams, do Fed, não vê motivo para mudar atual postura de política monetária

O presidente do Fed Bank de Nova York disse à Reuters que não espera ter confiança no progresso da inflação em direção à meta no curto prazo

O presidente do Federal Reserve Bank de Nova York, John Williams: “A política monetária está em um bom lugar.”
Por Laura Curtis - Alister Bull
16 de Maio, 2024 | 11:01 AM

Bloomberg — O presidente do Federal Reserve Bank de Nova York, John Williams, disse que os dados mais recentes da inflação dos Estados Unidos confirmam que as pressões de preços estão diminuindo gradualmente, mas que ele ainda precisa de mais evidências para ajustar as taxas de juros.

“Atualmente, não vejo nenhum indicador que me diga que há uma razão para mudar a postura da política monetária, e não espero isso”, disse Williams em entrevista à Reuters publicada nesta quinta-feira (16).

“Não espero obter essa maior confiança no progresso da inflação em direção à meta de 2% no curto prazo.”

Leia mais: Powell pede paciência diante da falta de progresso com a inflação nos EUA

PUBLICIDADE

Os funcionários do Fed adiaram as expectativas do primeiro corte nas taxas de juros, enfatizando a necessidade de manter os custos de empréstimos elevados por mais tempo diante de dados decepcionantes de inflação no primeiro trimestre.

“A política monetária é restritiva. Ela está ajudando a economia a alcançar um melhor equilíbrio”, disse Williams. “A política monetária está em um bom lugar.”

Dados recentes divulgados na quarta-feira (15) mostraram que o crescimento dos preços, excluindo alimentos e energia, desacelerou pela primeira vez em seis meses em abril, e outro relatório mostrou que as vendas no varejo ficaram estagnadas no mês passado, indicando que os altos custos de empréstimos e a crescente dívida estão tornando os consumidores mais cautelosos.

PUBLICIDADE

Williams afirmou que isso aponta para um progresso maior na redução gradual da inflação para a meta de 2% do Fed.

“Minha própria previsão é que a inflação provavelmente estará na casa dos dois dígitos até o final do ano, talvez chegue a 2,5% no ano como um todo, mas se aproximando de 2% no próximo”, disse ele.

Em uma entrevista à Bloomberg TV em 15 de abril, Williams disse que o Fed provavelmente começará a reduzir as taxas de juros neste ano se a inflação continuar a diminuir gradualmente.

Ele tem enfatizado repetidamente que o banco central dos Estados Unidos continuará comprometido com sua meta de inflação de 2%.

Veja mais em bloomberg.com