Cripto

Bitcoin atinge os US$ 50 mil pela primeira vez desde 2021 com ajuda de ETFs

Após uma queda de 64% em 2022, maior criptomoeda em valor de mercado triplicou de valor desde o início do ano passado

Bitcoin
Por Elijah Nicholson-Messmer e David Pan
13 de Fevereiro, 2024 | 10:05 AM

Bloomberg — O bitcoin (BTC) operava em torno de US$ 50.000 depois de atingir o patamar pela primeira vez em mais de dois anos, um retorno notável dos escândalos e colapsos de criptomoedas que haviam levantado dúvidas sobre a viabilidade da indústria.

O maior ativo digital em valor de mercado era negociado em torno de US$ 49.922, com alta de 4,2% às 9h20 desta terça-feira (13), horário de Brasília, após superar os US$ 50,3 mil.

O token triplicou de valor desde o início do ano passado, após uma queda de 64% em 2022. O bitcoin permanece, contudo, cerca de US$ 19.000 abaixo da máxima histórica que alcançou em novembro de 2021.

LEIA +
ETF de bitcoin à vista da BlackRock é o primeiro a alcançar US$ 1 bi em captação

As fortes oscilações de preços vistas desde a introdução do bitcoin há mais de uma década sempre foram uma das principais atrações para especuladores.

PUBLICIDADE

Embora originalmente promovido como uma alternativa ao sistema financeiro tradicional, o último rali foi impulsionado pelo otimismo de que a aprovação nos Estados Unidos de fundos de índice (ETF) de bitcoin à vista esteja levando a uma maior aceitação da cripto.

“Há muita conversa sobre entrada de dinheiro neste ativo”, disse Matt Maley, estrategista-chefe da Miller Tabak & Co. “Eu também vejo que os players estão ficando animados.”

Apetite por risco

O ressurgimento nos preços das criptomoedas ocorre à medida que as expectativas de uma política monetária mais flexível aumentam o apelo de ativos mais arrojados. “O apetite pelo risco se estendeu também para os ativos digitais”, disse Chris Newhouse, analista de DeFi na Cumberland Labs.

PUBLICIDADE

As ações de empresas relacionadas a criptomoedas também subiram na segunda-feira (12), com os papéis da MicroStrategy subindo 11%, os da exchange Coinbase Global avançando 3,8% e os da mineradora Marathon Digital Holdings saltando 14,2%.

Bitcoin é negociado perto dos US$ 50.000dfd

O sentimento positivo se espalhou para as ações asiáticas relacionadas a ativos digitais, incluindo avanços em empresas como a Monex Group, no Japão, e a Woori Technology Investment na Coreia do Sul.

Recuperação de perdas

O bitcoin recuperou todas as suas perdas desde o colapso da stablecoin TerraUSD (UST) em maio de 2022, que desencadeou uma onda de colapsos que, em última instância, ajudou a derrubar a exchange FTX de Sam Bankman-Fried em novembro de 2022.

Quando a FTX quebrou, o mercado de criptomoedas já estava há meses em uma queda que também afetou o fundo hedge Three Arrows Capital (3AC) e a Celsius Network.

Mas a queda da FTX, que já foi uma das principais exchanges de criptomoedas em volume de negociação, foi ainda mais prejudicial, com os preços dos tokens estagnando à medida que a liquidez secava.

Agora, com Bankman-Fried condenado por fraude e o cofundador da exchange Binance, Changpeng Zhao, aguardando sentença por violações de sanções dos EUA e por não implementar políticas anti-lavagem de dinheiro, os preços das criptomoedas subiram, já que os analistas veem menos riscos iminentes para a indústria.

Fluxos para ETFs

Nove fundos de índice (ETFs) de bitcoin à vista nos EUA estrearam em 11 de janeiro, enquanto o Grayscale Bitcoin Trust, com mais de uma década de existência, foi convertido em um ETF no mesmo dia.

PUBLICIDADE

A acessibilidade dos ETFs promete ampliar a base de investidores para o token. Os novos fundos já atrairam mais de US$ 9 bilhões até agora, enquanto uma saída de mais de US$ 6 bilhões do fundo Grayscale desde sua conversão parece estar perdendo força.

“Estamos um pouco distantes de uma aceitação mais ampla”, disse Susan Thompson, chefe de distribuição das Américas da SPDR na State Street Global Advisors, em entrevista à Bloomberg Television. “A maioria dos assessores com quem conversamos está adotando uma abordagem de esperar para ver.”

Os assessores financeiros precisam examinar as correlações de um ativo ao longo do tempo para avaliar os possíveis benefícios de diversificação, enquanto o impacto do bitcoin é difícil de prever, já que o token é relativamente recente, disse Thompson.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também:

Como uma aposta no mercado imobiliário dos EUA levou este banco alemão a uma crise

Desaceleração da economia evidencia, de novo, dilema da dependência de commodities