Vacina para bovinos busca reduzir emissão de metano da produção de carne e laticínios

Ainda em estágio de desenvolvimento, medicamento da empresa de biotecnologia agrícola ArkeaBio busca uma solução alternativa para reduzir o impacto ambiental

Cows at an auction at auction in Guthrie, Kentucky, US
Por Aaron Clark
16 de Maio, 2024 | 11:06 AM

Bloomberg — O metano emitido por bovinos, ovelhas, cabras e outros animais de criação faz mais danos de curto prazo ao clima do que os veículos de passageiros do mundo, segundo algumas estimativas. Uma startup sediada em Boston diz que uma nova vacina poderia reduzir significativamente as emissões.

A empresa de biotecnologia agrícola ArkeaBio afirma que seu medicamento visa os microrganismos produtores de metano que vivem na saliva e no trato digestivo dos animais. Até o momento, a pesquisa sobre o produto está em estágios iniciais e levará pelo menos 2 anos e meio antes de poder estar no mercado.

Mas, se bem-sucedido, o medicamento seria um passo em direção à resolução de um dos desafios climáticos mais intratáveis do mundo: a redução das emissões de metano da agropecuária. O setor é a maior fonte de metano gerado pelo homem, à frente dos combustíveis fósseis e dos resíduos, segundo a Agência Internacional de Energia.

“As ferramentas para fazer um avanço nessa área não existiam até que o custo do sequenciamento e da biotecnologia caíssem substancialmente nos últimos cinco a dez anos”, disse Colin South, diretor executivo da ArkeaBio. A empresa está vendo “resultados melhores do que o esperado” nos testes com gado atualmente em andamento, acrescentou.

PUBLICIDADE

Leia também: JBS negocia parceria em produção de biogás, diz diretor de sustentabilidade

Para reduzir as emissões de metano dos animais, pesquisadores e startups têm experimentado diferentes aditivos alimentares, incluindo algas marinhas e biochar. Outros desenvolveram máscaras para gado que capturam o potente gás de efeito estufa.

Uma investigação da Bloomberg no ano passado descobriu que, embora muitos dos maiores compradores de laticínios e carne do mundo tenham manifestado interesse em incentivar seus fornecedores a usar aditivos alimentares que reduzem o metano, poucos efetivamente seguiram em frente em alguma magnitude.

PUBLICIDADE

Uma vacina poderia ser distribuída por meio dos canais de fornecimento agrícola existentes, disse South, observando que o gado bovino e leiteiro já recebe uma ampla variedade de medicamentos para prevenir doenças respiratórias, diarreia bovina e outros problemas.

“A oportunidade de criar algo que se encaixa nas práticas agrícolas normais, que é uma vacina e que não tem probabilidade de impacto na qualidade do leite ou da carne, significa que realmente temos um público-alvo enorme”, disse ele.

A ArkeaBio recentemente concluiu uma rodada de financiamento de risco Série A de US$ 26,5 milhões liderada pela Breakthrough Energy Ventures, com novos investimentos do Centre for Climate Action Joint Venture Ltd., uma parceria público-privada de propriedade do governo da Nova Zelândia e grandes empresas do setor agroindustrial.

Veja mais em Bloomberg.com