Quem é o bilionário da Nvidia cuja fortuna subiu 150% neste ano com a febre de IA

Jensen Huang, conhecido pelas jaquetas pretas, co-fundou a empresa de chips em 1993 e viu a fortuna saltar de US$ 13,8 bilhões para US$ 34,9 bilhões neste ano

Jensen Huang, CEO da Nvidia, empresa que fabrica chips para a IA generativa (Foto: Caitlin O'Hara/Bloomberg)
Por Blake Schmidt
25 de Maio, 2023 | 04:01 PM

Bloomberg — A demanda insaciável por investimentos em inteligência artificial fez da fabricante de chips Nvidia (NVDA) a ação com melhor desempenho no S&P 500 neste ano, com um ganho de 166% até esta sexta-feira (26). Também deu um grande impulso à fortuna do co-fundador e CEO Jensen Huang.

A riqueza de Huang já havia crescido 153% neste ano até a sexta-feira (24), de US$ 13,8 bilhões para US$ 34,9 bilhões, tornando-o a pessoa com maior ganho percentual entre os bilionários americanos e globais da indústria de tecnologia, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.

LEIA +
Nvidia está perto de entrar para o clube do US$ 1 trilhão em valor de mercado

Quase toda a fortuna de Huang está em ações e opções da Nvidia, que aumentaram com base nas expectativas - e nos resultados - de que a empresa será uma das principais beneficiárias do sucesso do ChatGPT da OpenAI e de outros avanços em inteligência artificial generativa.

Conhecido por suas jaquetas de couro pretas e uma tatuagem que lembra o logotipo da Nvidia, ele co-fundou a empresa em 1993 e introduziu a primeira unidade de processamento gráfico em 1999.

PUBLICIDADE

Os ganhos deste ano representam uma rápida reversão em relação ao ano passado, quando a riqueza de Huang caiu quase pela metade em meio a uma queda ampla e generalizada nas ações de tecnologia.

O aumento percentual no patrimônio líquido de Huang desde janeiro supera o de Mark Zuckerberg, cuja fortuna aumentou 94%, para US$ 88,7 bilhões, com a recuperação das vendas da Meta (META) no primeiro trimestre.

Os investidores são atraídos para ações da Nvidia porque ela é vista como um fornecedor importante que atenderá à necessidade de poder de computação da IA, com bilionários que vão de Stanley Druckenmiller a David Tepper carregando ações no primeiro trimestre.

PUBLICIDADE

A Nvidia se recusou a comentar esta história à Bloomberg News.

A exuberância da IA ofuscou desenvolvimentos menos positivos na China, onde as vendas caíram cerca de 20% no ano fiscal mais recente da Nvidia depois que o governo dos EUA impediu a empresa de vender seus produtos de alta tecnologia para Pequim.

O desafio da China coloca Huang em uma posição incomum. O magnata, que viveu em Taiwan até se mudar para a Tailândia aos 9 anos de idade antes de estudar nos EUA, enfrenta a possibilidade de que as crescentes tensões EUA-China possam prejudicar sua capacidade de se apoiar na segunda maior economia do mundo para o crescimento daqui para frente.

Os dois maiores mercados da Nvidia durante a pandemia foram China e Taiwan, que juntos representaram mais da metade da receita da empresa no ano fiscal de 2022. Então, em setembro, os EUA impediram a Nvidia de vender alguns de seus chips mais avançados para a China, o que pode ter custado à empresa US$ 400 milhões por trimestre, afirmou.

Desde então, introduziu versões simplificadas que limitam a velocidade de conexão com o apoio tácito do governo dos EUA, de acordo com Matthew Bryson, analista da Wedbush Securities.

Ela também planeja mudar suas operações de pesquisa e desenvolvimento e fornecimento e distribuição para fora da China, para que possa fornecer aos clientes produtos que não estejam sujeitos a restrições de exportação.

Huang, por sua vez, expressou esperança de que os EUA e a China possam um dia aliviar suas tensões, chamando o relacionamento entre os dois países de “benéfico para o mundo”.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, a demanda é tão alta pelos chips da Nvidia que há uma “luta” entre as empresas de tecnologia pelo acesso, disse Chris Miller, autor de “Chip War: The Fight for the World’s Most Critical Technology.”

“As restrições da China serão um problema maior a longo prazo, mas neste ano o boom da IA é mais do que compensador”, disse Miller.

- Matéria atualizada às 23h de sexta-feira (26 de maio) com a cotação do fechamento da ação da Nvidia e com o novo tamanho do patrimônio do CEO da empresa.

- Com a colaboração de Jack Witzig.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Há uma bolha em gestação em ações de IA, alerta este estrategista de Wall St

Esta empresa pegou carona na febre da IA e já se valorizou 80% neste ano