Após 6 meses no México, QuintoAndar coloca cofundador para liderar operação

Segunda startup mais valiosa do Brasil terá o CTO André Penha para desenvolver a plataforma de aluguel de imóveis localmente, em base para expansão internacional

Cidade do México pode se tornar um dos maiores mercados para o QuintoAndar, segundo co-fundador André Penha
17 de Janeiro, 2023 | 09:10 AM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg Línea — O ano de 2022 foi de busca de eficiência e demissões para muitas das maiores startups da América Latina, duas ações que se tornaram praticamente um mantra - e também um clichê - de tão repetidas por empreendedores e investidores de venture capital. E também de redefinir prioridades. Para o QuintoAndar, a expansão internacional atingiu esse status e tem orientado as decisões de tal modo que decidiu colocar o seu cofundador e CTO André Penha para liderar a operação no México a partir desta terça-feira (17).

Penha será o general manager da Benvi, marca do QuintoAndar no México, em decisão relacionada com o plano de desenvolver o produto, no caso a plataforma digital de aluguel de imóveis com soluções financeiras como dispensa de seguro-fiador que facilitem o processo para inquilinos e proprietários.

“Ter um produto para o mercado mexicano não é ‘copiar e colar’ o que existe no Brasil. É adaptar e escrever um manual do QuintoAndar e da Benvi que funcione para o México e que, em um segundo momento, nos permita ‘exportar’ e decidir para quais países vamos na expansão internacional”, disse André Penha, co-fundador e CTO do QuintoAndar, à Bloomberg Línea.

Um exemplo são as máquinas de decisão de concessão de crédito e de análise de risco, que, segundo ele, terão que ser desenvolvidas para o mercado local dadas as diferenças para o brasileiro.

PUBLICIDADE

Segundo ele, o momento da startup no mercado mexicano exige “mão na massa” no contato com clientes e decisões rápidas, e isso explica também a decisão de ele assumir a operação.

No México, a startup brasileira enfrenta a concorrência de players locais como a Homie e terá também o desafio de digitalizar o mercado, que ainda é muito fragmentado entre imobiliárias locais.

Penha, que nos primeiros anos liderou as áreas de produto e tecnologia, contou que esse momento tem sido preparado nos últimos anos. A frente de produtos é comandada desde maio passado pela executiva americana Larissa Fontaine, ex-VP do Google que liderou desenvolvimento e estratégia para o YouTube.

PUBLICIDADE

Na área de tecnologia, Penha conta com o VP de Engenharia, Paulo Golgher, que chegou em agosto de 2021 depois de ter sido diretor sênior de engenharia para Android e Google Play.

“Isso significa que a área de tecnologia funciona bem e eu posso liderar um negócio distinto. E o negócio distinto mais importante para a companhia hoje é a expansão no México”, disse.

André Penha, novo General Manager de Benvi e cofundador e CTO do QuintoAndar, terceira startup mais valiosa da América Latinadfd

Segundo ele, a operação conta atualmente com menos de 50 profissionais, entre mexicanos e brasileiros, mas ele explicou que o objetivo não é crescer rapidamente em pessoas e que a decisão de ele assumir tem a ver também com esse planejamento.

Momento de ser ‘pão-duro’

“Vamos precisar de mais gente, mas, no mundo ideal, se conseguirmos fazer o negócio crescer com pouco aumento de pessoal será melhor do ponto de vista de gestão e capacidade de ação. Este é um momento na história de ser pão-duro tanto na vida pessoal como nas decisões de companhia.”

No ano passado, o QuintoAndar demitiu o equivalente a 4% do seu quadro pessoal no Brasil em decisão relacionada a uma reestruturação e à redefinição de prioridades.

A operação no México era então liderada por Nicolás Tejerina, CEO da Navent, um dos maiores portais de classificados da América Latina, adquirida no fim de 2021. Ele ficará dedicado a esse negócio.

Atualmente a startup é a segunda mais valiosa do país e a quarta mais valiosa da América Latina, com valuation de US$ 5,1 bilhões e atrás da mexicana Kavak, da colombiana Rappi e do iFood. No México, ela opera a plataforma de aluguel e tem a maior rede digital de classificados, depois da compra da Navent.

PUBLICIDADE

“Embora nós não tenhamos fixado um número de contratos como meta, queremos que este seja o ano em que a Cidade do México se torne uma dos nossos principais mercados e que tenha um volume significativo comparável a São Paulo e Rio”, disse o cofundador da startup. Ele não abriu números da operação.

Segundo Penha, os seis meses iniciais já serviram para diagnosticar o que já funciona e o que precisa ser adaptado ou desenvolvido localmente. No primeiro caso estão o sistema de busca de imóvel, desde que alcance escala - e, para isso, a startup pretende construir uma rede de relacionamento com imobiliárias locais, a exemplo do que existe no Brasil e foi adotado por outros players como a Loft.

E, no segundo caso, o processo de pagamento, em que no Brasil é considerado mais avançado dado o sistema de compensação via Pix e boleto, enquanto no México a taxa de pessoas com acesso bancário é mais baixo e vai ensejar “a abordagem que incentive práticas para pagar e receber”.

“O mercado mexicano tem algumas similaridades com o brasileiro, como a burocracia e a dificuldade de achar um lugar para morar. São obstáculos que existiam no Brasil quando começamos.”

PUBLICIDADE

- Matéria atualizada às 10h15 com a informação de que o QuintoAndar é, na verdade, a segunda startup mais valiosa do Brasil e a quarta mais valiosa da América Latina.

Leia também

Descubra quais são as 10 empresas para ficar de olho em 2023

QuintoAndar define prioridades e inicia expansão regional com operação no México

Marcelo Sakate

Marcelo Sakate é editor-chefe da Bloomberg Línea no Brasil. Anteriormente, foi editor da EXAME e do CNN Brasil Business, repórter sênior da Veja e chefe de reportagem de economia da Folha de S. Paulo.