Quer atrair e reter talentos? Veja o que eles buscam. E não é só dinheiro

Três anos de pandemia mudaram a maneira como as pessoas encaram seus empregos. Oferecer a remuneração mais alta ajuda, mas não resolve por si só

Benefícios para trabalhadores: confira os cinco mais visados segundo novos estudos de consultorias especializadas
Por Jo Constantz
01 de Janeiro, 2023 | 08:19 AM

Bloomberg — Apesar das manchetes de demissões na indústria de tecnologia, o mercado de trabalho ainda está em alta. Os americanos estão saindo da força de trabalho como uma população envelhecida e a falta de imigração significa que a concorrência por trabalhadores continuará feroz.

LEIA +
As 7 reportagens mais lidas na Bloomberg Línea em 2022

É claro que a remuneração é fundamental para a maioria das pessoas - mas, além de um salário atraente, no ambiente atual as empresas precisam encontrar novas maneiras de se distinguir, dizem especialistas.

“No início, as empresas lidavam com o problema com dinheiro: você tinha bônus de retenção e tinha ajustes salariais. E elas serviram a um propósito”, disse Melissa Swift, líder de transformação para os Estados Unidos na empresa de consultoria Mercer.

“Mas agora estamos vendo uma mudança para estratégias sustentáveis de retenção: o que você pode fazer para continuar a reter as pessoas para não continuar tentando apagar o fogo com dinheiro.”

PUBLICIDADE

Aqui estão cinco das principais estratégias e benefícios que os especialistas dizem que serão importantes em 2023. Dica: vai além do vale-refeição, do vale-transporte e de outros benefícios que dominaram o impulso de retorno ao escritório deste ano.

LEIA +
Trabalho remoto pode ampliar diversidade nas empresas, diz LinkedIn

1. Trabalho remoto

A oportunidade de trabalhar de casa encabeça a lista de prioridades para a maioria dos candidatos a empregos remotos. Estudos mostraram que o trabalho remoto melhora o engajamento, reduz o atrito e aumenta a produtividade – apesar de muitos chefes valorizarem muito o retorno dos funcionários a suas mesas.

“Espero que a mudança para o trabalho híbrido e o trabalho de qualquer lugar seja um ajuste de longo prazo, já que a flexibilidade ajuda as empresas a atrair e reter talentos diversos e de alta qualidade”, disse Prithwiraj Choudhury, professor da Harvard Business School que estuda trabalho remoto.

PUBLICIDADE

“Embora as empresas líderes que oferecem flexibilidade serão as mais beneficiadas, os retardatários serão forçados a correr atrás do prejuízo para evitar a fuga de talentos.”

LEIA +
Nômades digitais: qual é a melhor ilha paradisíaca para trabalho remoto?

2. Flexibilidade

“Flexibilidade” é a nova palavra mágica para os recrutadores. E por uma boa razão: flexibilidade (ou falta dela) é consistentemente uma das maiores razões citadas pelos funcionários para permanecer ou deixar um emprego, de acordo com Catherine Hartmann, chefe global de trabalho, recompensas e carreiras na empresa de consultoria Willis Towers Watson (WLTW).

Trabalhar de casa é apenas um aspecto. Trata-se de controlar sua agenda de maneira mais geral.

“Mesmo as empresas que retornaram ao escritório fizeram algumas mudanças significativas na forma como pensam sobre flexibilidade”, disse Ben Granger, psicólogo chefe de trabalho da Qualtrics. Alguns agora permitem aos pais que mudem seus horários, para sair no meio da tarde para buscar os filhos na escola e voltar ao expediente mais tarde ou ir ao escritório mais tarde para poder levar os filhos à escola.

LEIA +
Apetite por trabalho remoto na AL impulsiona pagamentos em cripto

3. Trabalho sustentável

As empresas estão redesenhando o trabalho para construir um descanso proativo para impedir o burnout em vez de responder a ele, disse Caitlin Duffy, diretora de pesquisa da empresa de consultoria Gartner.

Algumas estratégias incluem dias sem reuniões, expedientes mais curtos às sextas-feiras, semanas de quatro dias, férias coletivas em toda a empresa, aumento do tempo de férias, redução da sobrecarga tecnológica e até mesmo uma soneca diária.

Essa mudança acaba de começar. “Acho que não chegamos lá no que diz respeito à estratégia de retenção verdadeiramente sustentável – acredito que ela tem mais a ver com a experiência diária dos funcionários”, disse Swift.

PUBLICIDADE

Os funcionários estão sobrecarregados? Os gestores são solidários? “As empresas que realmente vencerão a corrida serão aquelas em que, daqui a seis meses, terão uma experiência completamente diferente”, disse ela.

LEIA +
Portugal cria visto de nômade digital para atrair trabalhadores remotos

4. Bem-estar financeiro

Com a remuneração deixando de acompanhar o aumento dos custos, os trabalhadores estão procurando empregadores que encontrem outras formas de tirar a vantagem da inflação.

Uma análise feita pela Lightcast.io, uma empresa de análise do mercado de trabalho, descobriu que um benefício em ascensão é a ajuda de custo com mensalidade escolar – oferecida em cerca de 8% das vagas em 2022, ante 7% em 2021.

“No passado, quando as pessoas pensavam no bem-estar financeiro, definitivamente focavam em aposentadoria e patrimônio no longo prazo”, disse Hartmann. “Mas há outras formas de as pessoas terem um bem-estar financeiro melhor, como assistência a idosos ou crianças. Ter esse custo coberto pela empresa é uma forma de ter mais dinheiro para guardar.”

PUBLICIDADE
LEIA +
Apenas 23% dos moradores de Nova York conseguem bancar um aluguel

5. Estabilidade

Mesmo que o mercado de trabalho tenha permanecido forte até agora, os candidatos provavelmente se tornarão mais cautelosos à medida que as condições econômicas mudarem. Startups e empresas de tecnologia são especialmente instáveis, pois a era do dinheiro fácil acaba e uma nova onda de austeridade começa.

Em 2022, os funcionários acabaram penalizados com o chamado “imposto de lealdade” por permanecerem com seu empregador em vez de buscarem um aumento de salário em outro lugar, disse Hartmann.

No novo ano, as empresas com histórico de estabilidade mesmo em tempos econômicos desafiadores estarão em melhor posição para atrair os melhores talentos do que as startups que ainda não conseguiram obter lucros.

“A estabilidade vai ser mais importante”, disse ela, e os candidatos avaliarão a força da liderança de um empregador, as perspectivas comerciais e a resiliência financeira.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

O que gestores e empregados aprenderam sobre o trabalho híbrido em 2022

2022: o ano em que a riqueza dos bilionários encolheu US$ 1,4 trilhão