Braskem desenvolve tecnologia inédita para o processo de reciclagem avançada

Catalisador exclusivo elimina a necessidade de fontes de energia externas, permitindo reduzir emissões de CO2e, em comparação com tecnologias já existentes

[BRANDED CONTENT] Bloomberg Línea
Tempo de leitura: 3 minutos

A destinação de resíduos plásticos é uma temática prioritária para a Organização das Nações Unidas (ONU), que está desenvolvendo um acordo internacional a respeito com previsão de entrar em vigor até 2024. Além disso, em meio ao crescente foco à temática ESG (Governança ambiental, social e corporativa), muitas empresas têm inovado no caminho para combater as mudanças climáticas e inserir o Brasil no mercado de baixo carbono por meio da gestão sustentável de resíduos e de processos que endereçam o assunto.

Um levantamento realizado pela consultoria McKinsey revelou que mais de 80 empresas globais de diversos ramos, como varejo, embalagens e bens de consumo, pretendem aumentar a inclusão de material reciclado em suas embalagens, entre 15% e 50%, até 2025. Além disso, o investimento em novas tecnologias para reciclagem mostra o comprometimento da indústria com o fomento à economia circular.

Atenta a este movimento e focada em reduzir os resíduos plásticos, a Braskem (BRKM5) vem investindo em novos produtos com conteúdo reciclado e iniciativas que promovem o descarte adequado, o consumo consciente, além de tecnologias para acelerar a transição para uma economia circular. Esse ecossistema de produtos e iniciativas foi agrupado dentro de: Wenew.

Tecnologia a serviço da reciclagem

A Braskem estuda e atua em duas formas de reinserir os resíduos plásticos na cadeia produtiva: a reciclagem mecânica, amplamente conhecida, e a reciclagem avançada, também conhecida como química, em que os resíduos são despolimerizados utilizando o calor, ou seja, suas propriedades físico-químicas são alteradas, dando origem a uma matéria-prima circular que será usada na fabricação de novos produtos. Esse tipo de reciclagem torna possível a transformação de plásticos flexíveis, que possuem uma complexidade maior para serem processados via reciclagem mecânica, em matéria-prima circular. Quando aplicadas em conjunto, a reciclagem mecânica e a avançada são complementares, somando esforços e aumentando o volume de materiais reciclados.

A fim de tornar a reciclagem química ainda mais eficiente e escalável, a Braskem desenvolveu uma tecnologia própria e inédita que utiliza um catalisador de última geração e promete reduções significativas de emissão de CO₂e na atmosfera, se comparada a outras tecnologias já existentes. Nesse novo método, o catalisador atua como uma “tesoura”, quebrando os resíduos plásticos e transformando-os em químicos básicos que podem ser usados por diversas indústrias para a fabricação de novos produtos utilizados no dia a dia, sejam químicos ou plásticos. Por esse processo, também é possível gerenciar o calor necessário para a reciclagem, possibilitando que ela seja realizada em menos etapas. Isso elimina a necessidade de fontes de energia externas, o que também contribui para a redução da emissão de gases do efeito estufa.

A previsão é que o projeto-piloto da nova tecnologia seja posto em prática em 2025 e que esteja disponível em larga escala em 2030. A adoção do catalisador por outros setores e indústrias no Brasil e no mundo ajudará a mudar o cenário da reciclagem global de plásticos, elevando os índices de resíduos plásticos reinseridos na cadeia. Vale lembrar que o processo de reciclagem começa pelo descarte adequado dos materiais, papel essencialmente desempenhado pelo consumidor. Para isso, é importante existir a conscientização da população sobre a separação dos resíduos e o investimento em coleta seletiva.

Vale lembrar que o processo de reciclagem começa pelo descarte adequado dos materiais, papel essencialmente desempenhado pelo consumidor. Para isso, é importante existir a conscientização da população sobre a separação dos resíduos e o investimento em coleta seletiva.

Ecossistema de economia circular para um futuro mais sustentável

A criação de Wenew faz parte de uma ambição ainda maior para a Braskem, já que o ecossistema une o portfólio de resinas e químicos com conteúdo reciclado às ações de educação ambiental e descarte adequado, tecnologia e design circular. A iniciativa tem como principal objetivo fomentar a economia circular na cadeia petroquímica, engajando a tríade: indústria, sociedade e poder público.

Para o ano de 2025 a companhia assumiu o compromisso de produzir 300 mil toneladas de produtos com conteúdo reciclado. Essa meta salta para 1 milhão de toneladas até 2030. O investimento em economia circular também está atrelado a outro compromisso da Braskem para o mesmo período: evitar que 1,5 milhão de toneladas de resíduos plásticos sejam descartados no meio ambiente.

“Os investimentos em reciclagem química vêm para complementar as nossas iniciativas em reciclagem mecânica. Esses projetos estão diretamente relacionados com a estratégia da Braskem de eliminação de resíduos plásticos e fazem parte do ecossistema Wenew, no desenvolvimento de produtos e no investimento em inovação e tecnologia. Dessa forma, atuamos em parceria com empresas altamente qualificadas, promovendo iniciativas que contribuem para unir os elos da cadeia produtiva e criar soluções para um futuro mais circular e sustentável”, explicou o vice-presidente de Olefinas e Poliolefinas da Braskem na América do Sul, Edison Terra.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Braskem .

https://www.braskem.com.br/