Fed sobe juro em 0,75 ponto e sinaliza que pode mudar estratégia

FOMC realizou sétima alta consecutiva nesta quarta-feira (2) em tentativa de reduzir impactos da inflação; banco diz que pode mudar condução do ciclo de aperto

Taxa de juros está agora no intervalo entre 3,75% e 4,00% nos Estados Unidos
02 de Novembro, 2022 | 03:08 PM

Bloomberg Línea — O FOMC (Comitê de Mercado Aberto) do Federal Reserve (Fed) acaba de anunciar mais um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa de juros dos Estados Unidos nesta quarta-feira (2), elevando-a para o intervalo entre 3,75% e 4,00%, dentro do consenso do mercado. Essa é a sétima alta consecutiva realizada pelo banco central norte-americano. Em março deste ano, a taxa subiu de 0,25% para 0,50%, em uma tentativa de apertar a economia e reduzir os impactos da inflação crescente.

Em comunicado divulgado com a decisão, o Fed sinaliza que pode mudar a estratégia de aperto monetário a depender da evolução da economia nos próximos meses, uma novidade que levou os índices de ações a começarem a subir minutos depois da divulgação da decisão. Às 15h15, no horário de Brasília, Nasdaq subia cerca de 0,33%, enquanto o S&P 500 operava em alta de 0,53%.

Segundo o Fed, “aumentos contínuos provavelmente serão necessários para trazer as taxas a um nível suficientemente restritivo para retornar a inflação a 2% ao longo do tempo”.

O Fed também disse: “Ao determinar o ritmo de aumentos futuros na faixa da meta, o Comitê considerará o aperto acumulado da política monetária, as defasagens com que a política monetária afeta a atividade econômica e a inflação e desenvolvimentos econômicos e financeiros.”

PUBLICIDADE

A decisão unânime do FOMC eleva a meta para a taxa básica de juros dos fundos federais para o seu nível mais alto desde 2008, na esteira da crise financeira global.

Com informações de Bloomberg News

Leia também:

PUBLICIDADE

Pós-eleição, quais as ações recomendadas para investir em novembro

Por que a Cielo, maior alta do Ibovespa no ano, projeta a retomada do consumo

Bloqueio nas estradas: investidores e empresas avaliam impacto de protestos

Tamires Vitorio

Jornalista formada pela FAPCOM, com experiência em mercados, economia, negócios e tecnologia. Foi repórter da EXAME e CNN e editora no Money Times.