Startups

Rodadas da semana: estas são as startups da América Latina que levantaram capital

Fintechs continuam como a indústria que mais atrai investimento entre as startups da região, sendo as protagonistas desta semana

Startups que iniciam suas jornadas capitalizadas: Capitalizarme, Fudo, Investo, e mais
20 de Agosto, 2022 | 04:34 AM

Leia esta notícia em

Inglês ou emEspanhol

Bloomberg Línea — O financiamento de risco global está em US$ 41,9 bilhões no meio do terceiro trimestre, de acordo com um relatório da CB Insights. Nos primeiros três meses do ano, os capitalistas de risco investiram US$ 141,7 bilhões em empresas, enquanto no segundo, esse valor caiu para US$ 110,9 bilhões.

Nesse ritmo, a CB Insights aponta que o investimento global para esse tipo de ativo deve ter uma queda de 24% em relação ao segundo trimestre.

Ainda assim, algumas startups latino-americanas seguem captando. Veja quem recebeu aportes esta semana na região:

Capitalizarme

A Capitalizarme, uma fintech chilena que trabalha com proptechs (startups de construção), recebeu US$ 6 milhões em capital Seed (investimento inicial) de investidores como a Angel Ventures e alguns family offices chilenos. Eles já haviam recebido US$ 1,5 milhão em uma rodada da qual participaram o fundo chileno Aurus e Nazca.

PUBLICIDADE
LEIA +
Startups e fundadores novatos são os mais afetados por novas políticas de VCs

Fundada por Gabriel Cid, que hoje atua como CEO, e Tomás Denecken, o CIO, em 2014, a Capitalizarme funciona como um marketplace, como a Amazon (AMZN) ou o Mercado Livre (MELI), mas para bens imobiliários.

“A digitalização desse processo tem sido um grande desafio”, disse Cid à Bloomberg Línea. “Além disso, há a falta de educação financeira”, acrescentou Denecken.

A partir de 2019, com o boom das proptechs, a startup chilena cresceu 100% e hoje conta com uma base de mais de 500.000 usuários. Com o capital recebido, focará em crescer no México, país que escolheu para iniciar sua internacionalização.

PUBLICIDADE

Fudo

A Fudo, com sede na Argentina, levantou US$ 7,5 milhões em capital seed da a16z, Atlántico e Maya Capital. A Collaborative Fund, Goodwater e Latitud também se juntaram à rodada. A startup oferece um sistema operacional de restaurantes e softwares para gerenciar mesas, entregas e finanças. Um negócio semelhante que a brasileira ZAK – que enfrenta uma situação financeira difícil – e a colombiana Pirpos querem abordar.

Investo

Prestes a completar um ano de atuação no mercado brasileiro, a Investo, gestora especializada em fundos de índice (ETFs) no Brasil, anunciou uma nova rodada de US$ 8 milhões. Entre os principais investidores está o gerente norte-americano Van Eck Associates Corporation.

Fundada por Cauê Mançanares, Luiz Junior e Gabriel Lansac, a Investo iniciou seu primeiro fundo em julho de 2021 com o objetivo de ajudar os brasileiros a se tornarem investidores globais por meio de investimentos transparentes e de baixo custo. O foco principal da empresa são os ETFs, fundos de investimento cujas cotas são negociadas na Bolsa de valores brasileira (B3) por valores mínimos de investimento que variam de R$ 10 a R$ 100.

Quaddro

Com apenas cinco meses de operação, a Quaddro conseguiu captar R$ 17 milhões (US$ 3,27 milhões) liderados pelo fundo Valor Capital Group, acompanhados por Grão, Bridge Latam, NXTP e fundadores-anjo de startups como iFood, Nomad, Conta Simples e Instantâneo.

A plataforma otimiza a operação de pequenas empresas e profissionais. Com o financiamento, pretende aumentar a equipe que, hoje, é formada pelos quatro sócios-fundadores. Além de ampliar as funcionalidades do software, a empresa espera aumentar sua base de clientes e, até o final do ano, viabilizar mais de R$ 20 milhões em transações para empreendedores que utilizam o aplicativo.

Pomelo

A Pomelo, fintech com sede na Argentina que permite que empresas ofereçam seus próprios serviços financeiros na América Latina, anunciou um novo investimento de US$ 15 milhões, estendendo sua rodada Série A para um total de US$ 50 milhões, aumentando seu valuation em 50%.

A empresa iniciou recentemente suas operações na Colômbia e no Peru, além de estar presente no Brasil, Argentina e México.

PUBLICIDADE

Omens

A brasileira Omens, empresa de tecnologia de saúde especializada em saúde masculina, arrecadou R$ 10 milhões (US$ 1,92 milhão) do investidor de impacto VOX Capital. Green Rock, Aimorés Investimentos e Incubate Fund participaram do financiamento.

Fluid

Plataforma de integração de sistemas, a brasileira Fluid anunciou que arrecadou R$ 3,3 milhões em rodada liderada pela empresa brasileira de capital de risco DOMO Invest, com participação da URCA Angels.

Syntage

Após receber um investimento de US$ 4,3 milhões em capital Seed, a Satws está evoluindo para se tornar a Syntage, uma plataforma de dados integral (Open Data / Open Finance) para negócios que, por meio da agregação e enriquecimento de dados de diferentes fontes, permite que seus clientes acessem transações, e informações qualitativas de outros negócios por meio de APIs e interface web.

“Estamos trabalhando em novos recursos e fontes de dados que serão lançados no quarto trimestre de 2022 sob o nome Syntage”, disse Matheus Pedroso, cofundador e CEO da Syntage, no comunicado de lançamento.

PUBLICIDADE

A Syntage fornece a tecnologia que impulsiona a criação de produtos e serviços voltados para negócios, como serviços financeiros, soluções de pagamento e SaaS. Com o investimento, a Syntage tornará os dados corporativos mais acessíveis na América Latina e consolidará sua equipe. A plataforma é destinada a empresas que buscam digitalizar seus processos de acesso e análise de informações de outros negócios.

Rebill

A startup Rebill, com sede na Argentina, levantou US$ 3,6 milhões para continuar desenvolvendo ferramentas automatizadas de faturamento e gerenciamento de assinaturas para a América Latina.

O capital é composto por uma rodada de pré-seed de US$ 600.000 e uma extensão de US$ 3 milhões liderada pela Tiger Global Management e incluiu Y Combinator, Soma Capital, SV Angel e um grupo de investidores-anjo, incluindo o cofundador do Dropbox, Arash Ferdowsi e o fundador da Vercel, Guillermo Rauch.

O CEO da Rebill, Nahuel Candia, teve a ideia inicial da Rebill em 2018, quando prestava consultoria para uma seguradora na Argentina. Em seguida, ele se uniu a Ariel Díaz Ailán, especialista em comércio eletrônico, para criar a Rebill em 2020. A Rebill fazia parte do grupo Winter 2022 da Y Combinator.

PUBLICIDADE

A oferta da Rebill também pré-aprova cartões de crédito e débito para que seus clientes possam receber pagamentos sem precisar entrar em contato com seus clientes ou criar cenários de cobrança complexos.

Loads

A startup chilena Loads levantou US$ 500 mil e vai abrir uma plataforma para conectar produtores locais com o mercado internacional. Após esta rodada de capital pré-seed, a empresa pretende enviar 250 contêineres com produção para Europa, Ásia, Estados Unidos e Oriente Médio durante seu primeiro ano e ter mais de mil usuários usando sua plataforma.

PUBLICIDADE

“Na Loads, acompanhamos o produtor desde o plantio da semente até a chegada a novos mercados”, explica o fundador e CEO Larry Gil B., que trabalha na empresa unicórnio há mais de uma década. Ele trabalhou para o unicórnio chileno Betterfly e criou esta plataforma depois de experimentar e testemunhar em primeira mão a falta de transparência para importadores e produtores em termos de preços e processos, bem como a falta de tecnologia para realizá-los.

A Loads também dá suporte no processo operacional, financeiro e logístico, gerando uma comunidade na qual eles podem até acessar educação, financiamento e novas oportunidades de negócios.

Leia também:

iFood é avaliado em US$ 5,4 bilhões e se torna a startup mais valiosa do Brasil

Yanin Alfaro (BR)

Yanin Alfaro (BR)

Jornalista com experiência em startups e tecnologia

Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups