Série A da Klavi, aporte da H&M e as rodadas da semana na América Latina

A chilena Reversso está entre as startups que receberam capital na América Latina para continuar a crescer

De seeds a rodadas mais avançadas, startups latino-americanas voltaram a arrecadar fundos nesta semana para crescer
13 de Agosto, 2022 | 06:24 AM

Leia esta notícia em

Inglês ou emEspanhol

Bloomberg Línea — Bem-vindo às rodadas da semana. Investir em startups latino-americanas não saiu de moda. A varejista sueca H&M decidiu investir na chilena Vestuá, um marketplace de roupas usadas. Embora o valor do aporte não tenha sido divulgado, a gigante global de fast fashion disse que foi “um investimento significativo” desembolsado de seu braço de capital de risco corporativo (CVC), o H&M CO:LAB.

Apesar da crise e da cautela dos capitalistas de risco, o investimento continua fluindo para a região. A CleverTap, uma startup de nuvem de retenção de marca, é uma empresa que levantou uma rodada Série D de US$ 105 milhões. O total inclui US$ 75 milhões do grupo de investimento global CDPQ, além da participação do Tech Fund da IIFL AMC e dos investidores Tiger Global e Sequoia India.

Agora com sede em Mountain View, na Califórnia, a CleverTap tem escritórios em São Paulo, Bombaim, Cingapura, Sofia, Bogotá, Amsterdã, Jacarta e Dubai.

Nesta semana, além da proptech DD360, que recebeu US$ 91 milhões, e da fintech Kontempo, que levantou US$ 30 milhões, estas são as startups que captaram recursos na América Latina:

PUBLICIDADE

Klavi

Klavi, plataforma brasileira de SaaS (Software-as-a-Service) dedicada a serviços bancários abertos, agregação de dados, análise e API, recebeu um novo financiamento de US$ 15 milhões. A rodada Série A foi liderada pelos fundos de private equity Iporanga Ventures e Parallax Ventures, com participação da GSR Ventures.

O provedor de infraestrutura bancária CIP S.A. e a Vivo Ventures, o Corporate Venture Capital (CVC) da Vivo lançado em abril, também entraram na rodada, marcando seu primeiro investimento em uma fintech. O financiamento também suporta um fechamento adicional em no máximo 90 dias e contará com a entrada de outros investidores já comprometidos.

A Klavi utilizará os recursos para fortalecer sua área de tecnologia, por meio de oportunidades de inovação em serviços B2B e seu setor de processamento de dados, além de facilitar o desenvolvimento de novos produtos. A fintech também está agregando informações de várias fontes com a CIP S.A. e desenvolvendo um score com dados de tickets.

PUBLICIDADE

“Estamos construindo o futuro do sistema financeiro por meio do Open Finance. O financiamento nos dará força para desenvolver mais soluções, facilitando a troca de dados financeiros. Nossos parceiros poderão ter uma visão 360° das informações de seus clientes, com tudo centralizado em um só lugar, sempre com o consentimento dos usuários”, disse Bruno Chan, CEO da Klavi, em uma afirmação.

Reversso

A Reversso, uma startup chilena de software de troca e retorno de comércio eletrônico, levantou sua rodada Seed por US$ 1,1 milhão de investidores como Genesis, que está liderando a rodada, Hero Capital e investidores-anjo Matt Brown e Alan Weschler.

A Reversso é um SaaS que integra plataformas de e-commerce, logística reversa e meios de pagamento para que o processo seja self-service e automatizado. Atualmente tem cobertura em seis países: Chile, Argentina, Brasil, Peru, Colômbia e México.

“Percebemos rapidamente a escalabilidade e a boa recepção que nosso produto teve na América Latina porque estamos resolvendo um grande problema”, disse Benjamin Santa Maria, CEO da startup, em entrevista à Bloomberg Línea.

Ele fundou a empresa em 2020 junto com seu irmão Clemente Santa Maria e Benjamin Regonesi. E essa foi a razão pela qual eles decidiram levantar sua primeira rodada de capital.

Com a rodada que acabaram de fechar, o foco está em duas frentes, disse Santa María: escalar agora a partir do México (país onde está crescendo a uma taxa de 45% ao mês) e, em segundo lugar, na criação de novos produtos que continuam melhorando a experiência do usuário. “Hoje, o produto em que estamos focando é o nosso algoritmo que mede risco e retorno em pontos.”

Leia também:

Este CEO buscava tornar a sua startup um unicórnio. Agora, ela pode ser vendida

Yanin Alfaro (BR)

Jornalista com experiência em startups e tecnologia

Isabela  Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups