Cripto

Bitcoin recua após o melhor mês de 2022 com traders avaliando recuperação

Bitcoin acumulava alta de 28% em julho, enquanto o Ether tinha um avanço de 72%, apesar da leve queda desta sexta-feira

A maior criptomoeda recuava 2,8%, para US$ 23.130, depois de atingir US$ 24.658 no sábado
Por Joanna Ossinger e Emily Nicolle
01 de Agosto, 2022 | 08:54 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Bitcoin recuava nesta segunda-feira (1) após atingir os níveis mais altos desde meados de junho no sábado, em meio ao otimismo de que o mercado possa ter se recuperado de seus piores níveis.

A maior criptomoeda recuava 2,8%, para US$ 23.130, depois de atingir US$ 24.658 no sábado, a maior alta desde 13 de junho. O ganho de 27% em julho foi o melhor mês desde outubro. O Ether também caía depois de registrar um salto de 70% no mês passado, o melhor desde janeiro de 2021.

“Agosto promete ser revigorante para o Bitcoin, com mais episódios de volatilidade garantidos”, disse Antoni Trenchev, cofundador e sócio-gerente do credor de criptomoedas Nexo.

No entanto, a criptomoeda está “inclinando-se para uma repetição da resiliência de julho em relação à capitulação de junho” depois que “o Bitcoin absorveu o impacto macro da semana passada” do aumento da taxa do Federal Reserve, o banco central americano, e dados mostrando que a economia dos EUA contraiu pelo segundo trimestre consecutivo.

PUBLICIDADE

O Bitcoin caiu abaixo de US$ 20.000 no final de junho e julho em meio a preocupações com aumentos de juros e inflação, bem como problemas internos às criptomoedas, como a implosão do ecossistema Terra/Luna e do fundo de hedge Three Arrows Capital.

Ainda está bem abaixo do recorde de US$ 69.000 em novembro, mas começou a mostrar alguma força diante dos indicadores econômicos e da política monetária mais apertada.

Leia também

Futuros americanos recuam, acompanhando petróleo e dólar com receio de recessão

PUBLICIDADE