Mercados

Futuros da Ásia apontam para cima com impulso do Fed

Balanços dos EUA da noite desta quarta-feira deram sinais mistos, com a primeira queda trimestral de receita da controladora do Facebook

Traders estão aguardando um telefonema entre Biden e o presidente chinês Xi Jinping
Por Sunil Jagtiani
27 de Julho, 2022 | 08:02 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As ações na Ásia apontam para uma abertura no azul após as bolsas americanas fecharem em alta com a perspectiva de uma eventual desaceleração no ritmo de aperto monetário do Federal Reserve, que pesou sobre os rendimentos dos títulos e o dólar.

Os futuros sinalizam ganhos no Japão, Austrália e Hong Kong. O S&P 500 saltou 2,6% e o Nasdaq 100, pesado em tecnologia, teve sua melhor sessão desde novembro de 2020, com investidores abraçando o risco. Os contratos dos Estados Unidos caíram no início do pregão asiático.

O Fed elevou as taxas em 75 pontos base pela segunda vez, disse que tal movimento é possível novamente e reiterou seu compromisso de combater a inflação. Mas o presidente Jerome Powell acrescentou que o ritmo dos aumentos diminuirá em algum momento e o Fed definirá a política reunião por reunião, evitando orientações explícitas sobre a dimensão dos aumentos.

O dólar despencou, enquanto a maioria dos vencimentos do Tesouro avançou. Os swaps vinculados à data das reuniões de política do Fed implicam um pico de 3,3% para a taxa de fundos federais no final do ano - não muito superior à faixa atual de 2,25% a 2,5%. Petróleo, ouro e bitcoin (BTUSD) também estão em alta após a reunião do Fed.

PUBLICIDADE

O alívio instintivo nos mercados com possíveis sinais de conforto das perspectivas do Fed ecoa um padrão visto após altas anteriores. Esses ataques de otimismo tropeçaram nos riscos de recessão de uma onda global de aperto monetário, nos problemas energéticos da Europa e no setor imobiliário da China e nos desafios da covid.

“Esse movimento do mercado é a vitória da esperança sobre a experiência”, disse Jeffrey Rosenberg, gerente sênior de portfólio de renda fixa sistemática da BlackRock, à Bloomberg Television. “Eu seria um pouco cauteloso aqui.”

O presidente do Fed de Nova York, Bill Dudley, disse que os mercados financeiros estão subestimando até que ponto o Fed irá para domar as pressões de preços de décadas.

Balanços mistos

Os últimos balanços dos EUA deram sinais mistos. A Meta (META), controladora do Facebook, registrou seu primeiro declínio trimestral na receita. A empresa de chips Qualcomm deu uma previsão medíocre. O desempenho da Ford (F) superou as estimativas. A Best Buy (BBY) cortou a previsão de lucro, dizendo que a inflação está atingindo a demanda do consumidor.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, houve algum progresso na agenda econômica do presidente Joe Biden. O senador Joe Manchin e o líder da maioria Chuck Schumer fecharam um acordo sobre um projeto de lei de política tributária e energética.

Traders estão aguardando um telefonema entre Biden e o colega chinês Xi Jinping, que pode abordar as tarifas dos EUA e outros pontos de tensão.

Separadamente, o presidente da SEC, Gary Gensler, disse que os EUA e a China devem chegar a um acordo “muito em breve” sobre o acesso a resultados de auditorias de empresas chinesas. Caso contrário, eles podem ser expulsos das bolsas dos EUA.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Powell diz que novos aumentos de juros podem ser feitos se necessário

André Esteves quer BTG Pactual maior que o Itaú

PUBLICIDADE