Mercados

Biden pode desonerar produtos chineses ‘em breve’, diz secretária de Comércio

Gina Raimondo, secretária de Comércio dos EUA, afirma que uma decisão de Joe Biden sobre tarifas da era Trump teria de evitar prejuízos aos trabalhadores americanos

Gina Raimondo, secretário do Comércio, minimiza o impacto de uma desoneração de produtos chineses na queda da inflação, durante entrevista à NBC
Por Leah Nylen
10 de Julho, 2022 | 01:32 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O presidente Joe Biden pode suspender determinadas tarifas dos EUA sobre importações chinesas “em breve”, no entanto, qualquer ação teria de evitar prejuízos aos trabalhadores norte-americanos, disse Gina Raimondo, secretária de Comércio.

O presidente está em processo de tomada desta decisão”, disse Raimondo no “Meet the Press”, programa do canal NBC, de acordo com a transcrição de sua entrevista. “E então nós o estamos informando e espero que ele tomará a decisão em breve”.

Biden tem considerado relaxar algumas tarifas da era-Trump sobre bens de consumo da China por algum tempo. Autoridades dos EUA e China discutiram as sanções econômicas e tarifas americanas na semana passada.

Sindicatos de trabalhadores e alguns altos funcionários, incluindo a representante comercial Katherine Tai, apoiam manter as tarifas, que eles acreditam dar aos EUA influência nas negociações com a China.

PUBLICIDADE

Outros funcionários, como a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, defendem a redução das tarifas sobre produtos chineses para ajudar a conter a inflação e reduzir os preços ao consumidor em itens de uso diário.

“Devemos ser claros sobre o que significaria suspender ou não as tarifas, certo?”, disse Raimondo à NBC. “Como por exemplo, suspender as tarifas não iria baixar a inflação de maneira muito significativa”, acrescestando: “O que isso pode potencialmente é ajudar os consumidores com certos bens domésticos”. Mais importante para Biden é que qualquer ação a ser tomada é “sem prejudicar os trabahadores americanos”.

O ex-presidente Donald impôs tarifas a uma variedade de produtos chineses desde julho de 2018 após uma investigação concluir que a China violou propriedade intelectual de companhias americanas, forçando-as a transferir tecnologia. O governo Biden disse em maio que iria rever essas tarifas, um processo necessário para que elas comecem a expirar em julho.

Raimondo disse no mês passado que os EUA decidiram manter as tarifas sobre o aço e o alumínio, mas poderia retirá-las de outros produtos.

PUBLICIDADE

Veja mais na Bloomberg.com

Leia também

China multa Alibaba e Tencent por falhas no anúncio de transações

PUBLICIDADE