PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Miami atrai fundo hedge de US$ 50 bi e reforça status de novo centro financeiro

Citadel, do bilionário investidor Ken Griffin, deixará Chicago a caminho da Flórida, que já atraiu gigantes como Goldman Sachs e Blackstone

Durante a pandemia, funcionários das empresas de Ken Griffin deixaram os escritórios em Chicago e Nova York e dominaram os resorts de Miami
Por Amanda Gordon
23 de Junho, 2022 | 06:21 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — O bilionário investidor Ken Griffin decidiu mudar a sede do seu fundo hedge Citadel, um dos maiores do mercado americano, para Miami, reforçando o status da cidade da Flórida como um dos novos centros financeiros da maior economia do mundo.

PUBLICIDADE

A mudança da atual sede em Chicago para a Flórida ocorre depois que o bilionário reclamou da taxa de criminalidade da cidade e expressou suas frustrações com os líderes políticos do estado, Illinois.

A mudança valerá tanto para o fundo hedge Citadel, que tem mais de US$ 51 bilhões em ativos sob gestão, quanto para a Citadel Securities, disse o porta-voz Zia Ahmed na quinta-feira (23). Esse é o primeiro passo de um processo plurianual que envolverá a construção de um novo escritório em Miami, que atuará como sede global.

PUBLICIDADE

Griffin, 53 anos, disse no mês passado que estava ficando farto de Chicago. O fundo hedge (o equivalente aos fundos multimercados no Brasil) e a formadora de mercado Citadel Securities, ambos fundados pelo executivo, juntos empregam mais de mil pessoas na cidade do norte do país. A empresa afirma esperar empregar algumas centenas de pessoas em Miami já no ano que vem.

“Muitas de nossas equipes de Chicago pediram para se mudar para Miami, Nova York e nossos outros escritórios ao redor do mundo” disse Griffin, que fundou a Citadel em 1990, em uma carta aos funcionários. “Estou animado por ter me mudado recentemente para Miami com minha família e espero expandir rapidamente a Citadel em uma cidade tão rica em diversidade e tão cheia de energia.”

Griffin, um proeminente filantropo republicano, há muito tempo discute com o governador de Illinois, J.B. Pritzker, e se tornou cada vez mais um crítico de Chicago, chegando a descrever os crimes violentos da cidade “como o Afeganistão em um bom dia”. Ainda assim, a mudança é mais um golpe para a terceira maior cidade dos Estados Unidos, após empresas consideradas blue chips (de maior valor de mercado), incluindo a Boeing (BA) e a Caterpillar (CAT), anunciarem planos de deixar o estado.

Bilionário se mudou recentemente para Miami com a família e decidiu levar a sede de seu fundo hedge para a Flóridadfd

Com patrimônio de US$ 28,9 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index, Griffin foi um grande benfeitor para Chicago ao longo dos anos. Ao todo, já doou mais de US$ 600 milhões a organizações da cidade, segundo um porta-voz. Isso inclui uma doação de US$ 125 milhões ao Museu de Ciência e Indústria da cidade, e um salão no Instituto de Arte de Chicago foi nomeado em sua homenagem.

Por sua vez, a empresa e seus funcionários contribuíram significativamente para a base de cálculo com bilhões de dólares durante a última década, disse o porta-voz.

PUBLICIDADE

“Chicago foi um lar magnífico para a Citadel”, disse Griffin em sua carta. “Estou orgulhoso de tudo o que contribuímos para Chicago durante as últimas três décadas.”

Miami em ascensão

Miami e o sul da Flórida, por sua vez, continuam recebendo empresas financeiras. O Goldman Sachs (GS), a gigante de private equity Blackstone (BX), fundos hedge como o D1 Capital Partners e family offices, incluindo o HRS Management, do bilionário Josh Harris, estão entre as instituições financeiras que aumentaram sua presença no estado, que não cobra imposto de renda.

O estado já é um território familiar para Griffin, que nasceu em Daytona Beach e frequentou o ensino médio em Boca Raton.

Durante a pandemia, a parte de trading do império de Griffin deixou seus escritórios em Chicago e Nova York e dominou o resort Four Seasons Palm Beach. Griffin disse no ano passado que a Flórida teve uma “oportunidade” de se tornar um destino para mais talentos.

A Citadel planeja firmar parceria com a incorporadora Sterling Bay para projetar uma torre em Brickell Bay – distrito comercial de Miami. O processo levará muitos anos, e a empresa alugará moradias para que funcionários se mudem nesse intervalo de tempo. Alguns funcionários da Citadel Securities já estão trabalhando em escritórios provisórios no Southeast Financial Center.

A mudança da sede não afetará os planos de expansão da Citadel em Nova York – a primeira de suas equipes deve ter um escritório na cidade nos próximos meses.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Katherine Burton.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Netflix anuncia a demissão de mais 300 funcionários em nova rodada de cortes

O presente de US$ 7 bi que o homem mais rico da Ásia separou para o seu aniversário