PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Aposta de El Salvador no bitcoin causa perda milionária e acentua crise

Queda de valor dos criptoativos nas reservas chegou a quase US$ 56 milhões desde que o bitcoin se tornou moeda legal no país, segundo cálculos da Bloomberg

Mesmo com o declínio brutal do ativo, o presidente de El Salvador que deu a entender em um tweet que o momento de queda pode representar uma oportunidade de compra
Por Sydney Maki
15 de Junho, 2022 | 01:45 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A queda que eliminou cerca de dois terços do valor do bitcoin ajudou a exacerbar a crise da dívida de El Salvador, até então o país mais aberto às criptomoedas do mundo.

PUBLICIDADE

Desde que El Salvador aprovou o bitcoin como moeda legal, um ano atrás, o país teve uma queda de quase US$ 56 milhões em suas reservas no criptoativo, segundo cálculos da Bloomberg. Isso pode não parecer muito, mas, para um país com problemas financeiros como El Salvador, tudo conta.

A perda de valor representa mais da metade do que o governo do presidente Nayib Bukele gastou para comprar os 2.301 bitcoins, divulgados por meio de uma publicação no Twitter. A criptomoeda caía pela nona sessão consecutiva nesta quarta-feira (15), na maior sequência de perdas desde 2014.

PUBLICIDADE

Ainda assim, o declínio brutal não parece ter intimidado o presidente do país, que deu a entender em um tweet na terça-feira (14) que o momento de queda pode representar uma oportunidade de compra.

“Você está me dizendo que devemos comprar mais bitcoin?”

— Nayib Bukele (@nayibbukele), 14 de junho de 2022

Com base nas publicações do próprio presidente, o país comprou pela última vez 500 Bitcoins, há pouco mais de um mês.

O momento destaca um risco significativo para investidores e ressalta a questão da dívida do país da América Central, que tem sido arrastada por preocupações em torno dos déficits fiscais e de uma obrigação de US$ 800 milhões, com vencimento em janeiro de 2023.

PUBLICIDADE

A dívida em dólar de El Salvador teve o pior desempenho na América Latina neste ano, enquanto o país luta para garantir novos financiamentos por meio de títulos vinculados ao bitcoin.

A preocupação com a capacidade do país de obter um financiamento necessário para rolar as dívidas levou a S&P Global Ratings a rebaixar o país para CCC+ em junho, movimento que o colocou no mesmo nível de países como a Ucrânia e a Argentina.

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Bitcoin volta a desabar e ameaça romper barreira simbólica de US$ 20 mil

Venezuela: país socialista agora tem cassinos e Ferraris