Negócios

Eletrobras privatizada, PetroRecôncavo e a agenda da bolsa na próxima semana

Definição de preço por ação em oferta da PetroRecôncavo está prevista para acontecer na próxima terça-feira (14)

Oferta de ações da Eletrobras levantou mais de R$ 33 bilhões
Por Taís Fuoco
12 de Junho, 2022 | 09:37 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A oferta de ações da Eletrobras no processo que reduz a presença do governo em seu capital levantou cerca de R$ 33,7 bilhões e mostrou uma demanda bastante robusta. O apetite dos investidores pode favorecer os IPOs recentemente anunciados, como o da BRK Ambiental e Corsan - esta última também uma privatização. A estreia das novas ações da Eletrobras acontece na próxima segunda-feira (13).

A semana:

  • 13/junho: Estreia das novas ações da Eletrobras (ELET3; ELET6) após oferta;
  • 13/junho: O Carrefour Brasil promove teleconferência com investidores sobre integração com Grupo Big e novo conselho;
  • 14/junho: Definição de preço por ação em oferta da PetroRecôncavo;
  • 14/junho: Totvs (TOTS3) reúne investidores e analistas em Investor Day;
  • 15/junho: Nada previsto até o momento;
  • 16/junho: Feriado nacional pelo Dia de Corpus Christi, mercados fechados no Brasil;
  • 17/junho: Início previsto da negociação das novas ações da PetroRecôncavo na B3 (B3SA3).

Estudo de oferta

A CVC (CVCB3) avalia a possibilidade de fazer uma oferta primária de ações e, para isso, contratou os bancos Citigroup (C) e Bank of America (BAC). A empresa disse que a motivação veio da recuperação do setor de turismo nos últimos meses, que apontou essa como uma das fontes de captação de recursos.

Tenda com credores

A Tenda (TEND3) convocou os credores para uma assembleia em que pretende obter licença para um endividamento maior que o acertado anteriormente, disse o Estado de S. Paulo citando entrevista com o diretor financeiro Marcos Pinheiro Filho.

PUBLICIDADE

Nas captações feitas nos últimos anos, a empresa se comprometia com uma alavancagem de até 15%, mas no primeiro trimestre deste ano ela bateu em 33%, com a disparada nos custos da construção, segundo a reportagem. A Tenda propõe uma licença para que a alavancagem chegue a até 85% no primeiro semestre de 2023 e, em seguida, passe a cair a até 30% no fim de 2024.

Reajuste adiado

A Aneel já adiou por duas vezes o reajuste tarifário da Cemig Distribuição, previsto inicialmente para entrar em vigor no final de maio. A agência quer reduzir o impacto da elevação da tarifa na inflação e, para isso, pretende esperar a privatização da Eletrobras. De acordo com o Ministério das Minas e Energia, a Eletrobras (ELET3; ELET6) deve realizar um aporte inicial de R$ 5 bilhões na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) após a capitalização, atenuando os impactos tarifários, segundo comunicado no site da Aneel.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Férias na Europa? Greves e crise de mão-de-obra causam caos em aeroportos

Inflação nos EUA surpreende e mercado já prevê 3 altas de 0,50 ponto do Fed

PUBLICIDADE