Gestora de Soros diz que mercado erra ao prever recessão imediata

Dawn Fitzpatrick aponta que consumidor americano segue fortalecido, em entrevista ao programa ‘Bloomberg Wealth with David Rubenstein’

Consumidores aguardam para entrar em loja da Gucci em São Francisco, na Califórnia
Por Claire Ballentine
31 de Maio, 2022 | 09:40 AM

Apesar da onda vendedora que tomou conta dos mercados de ações neste começo de 2022 e da inflação mais elevada em quatro décadas na economia americana, a maior do mundo, a CIO (executiva-chefe de investimentos) da Soros Fund Management, do bilionário investidor George Soros, não está preocupada com uma recessão nos Estados Unidos no futuro imediato. Dawn Fitzpatrick deu a sua visão sobre os mercados e a economia no programa Bloomberg Wealth with David Rubenstein.

Na avaliação da experiente gestora, que também é a CEO (executiva-chefe) da Soros Fund Management, o consumidor americano está em boa forma (financeira) de forma extraordinária, o que significa que será capaz de manter o seu poder de compra mesmo com o aumento dos juros pelo Federal Reserve.

A taxa de juros está atualmente no intervalo entre 0,75% e 1% e deve sofrer novas altas até o fim do ano a fim de conter uma inflação ao consumidor que chegou a 8,3% na base anual em abril. Em março, estava em 8,5%. São patamares não observados desde o começo da década de 1980.

“O aumento das taxas [de juros] vai desacelerar a economia e impactar a inflação, mas esta economia tem alguns amortecedores de choques”, disse Patrick ao programa da Bloomberg.

PUBLICIDADE

Segundo ela, ainda que os salários não estejam conseguindo acompanhar a alta dos preços, os consumidores americanos estão com dinheiro para pagar as contas no cartão de crédito.

Dawn Patrick passou cerca de 25 anos na UBS Asset Management, o último cargo como head de investimentos, antes de assumir o comando do family office de Soros, que está com 91 anos de idade.

A Soros Fund Management tem cerca de US$ 28 bilhões sob gestão. A maior parte do capital da casa está alocada na Open Society Foundations, instituição dedicada a causas como direitos humanos, justiça e políticas progressistas.

PUBLICIDADE

Leia mais:

Fintech global de US$ 15 bi negocia compra de empresa no Brasil

É hora de comprar ações de siderurgia, diz BBI; confira as preferidas