PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Conselho do Twitter diz que pretende seguir com acordo de Musk

Empresa pode acionar cláusula que obrigaria bilionário a concluir aquisição, segundo documentos

Musk tem ameaçado não seguir com acordo de compra da plataforma
18 de Maio, 2022 | 08:19 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg News — O conselho do Twitter disse que planeja fazer valer seu acordo de US$ 44 bilhões para ser comprado por Elon Musk, dizendo que a transação é do melhor interesse de todos os acionistas.

PUBLICIDADE

Pretendemos fechar a transação e fazer cumprir o acordo de fusão”, disse o conselho na terça-feira (17) em comunicado à Bloomberg News. Os diretores votaram anteriormente para recomendar por unanimidade que os acionistas aprovem a oferta de US$ 54,20 por ação de Musk.

A aquisição proposta inclui uma taxa de separação de US$ 1 bilhão para cada parte, que Musk terá que pagar se o acordo desmoronar devido a problemas de financiamento. Mas Musk não pode simplesmente ir embora pagando a taxa.

PUBLICIDADE

O acordo de fusão inclui uma cláusula de desempenho específica que permite que o Twitter force Musk a consumar o acordo, de acordo com o documento. Isso pode significar que, caso o acordo termine no tribunal, o Twitter pode garantir uma ordem obrigando Musk a concluir a fusão, em vez de ganhar uma compensação monetária por quaisquer violações dela.

A declaração do conselho vem quando Musk parece estar manobrando para abandonar ou renegociar sua oferta.

Musk disse na semana passada que o acordo estava “em suspenso” até que ele obtivesse mais informações, especificamente uma prova do Twitter de que os chamados bots de spam representam menos de 5% de seus usuários.

Na segunda-feira, Musk alimentou especulações de que ele poderia tentar renegociar a aquisição, dizendo em uma conferência de tecnologia em Miami que um acordo viável a um preço mais baixo não estaria “fora de questão”.

O Twitter disse que está comprometido em concluir a venda. As ações, que caíram por sete pregões seguidos, fecharam na terça-feira em alta de 2,5%, para US$ 38,32, ainda bem abaixo do preço de oferta.

--Com a colaboração de Kurt Wagner