PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Apple adia plano de retorno ao escritório três dias por semana

A empresa disse que a exigência foi adiada “por enquanto” e não forneceu uma nova data

A empresa também disse aos funcionários que eles devem usar máscaras novamente nas áreas comuns – pelo menos nos escritórios do Vale do Silício
Por Mark Gurman
17 de Maio, 2022 | 05:16 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Apple (AAPL) adiou um plano de exigir que os funcionários voltassem ao escritório três dias por semana após o ressurgimento de casos de covid-19, o mais recente revés em seus esforços de retorno à normalidade.

PUBLICIDADE

A empresa informou aos funcionários nesta terça-feira (17) que vai adiar a exigência, que estava prevista para entrar em vigor em 23 de maio, de acordo com um memorando visto pela Bloomberg. No entanto, a empresa ainda espera que os funcionários venham ao escritório dois dias por semana. A empresa disse que a exigência foi adiada “por enquanto” e não forneceu uma nova data.

A Apple ia exigir que os funcionários trabalhassem no escritório às segundas, terças e quintas-feiras a partir da próxima semana - uma política que gerou controversa. Os funcionários já tem ido ao escritório dois dias por semana como parte de um esforço que começou em abril. Por enquanto, essa exigência não mudou.

PUBLICIDADE

A empresa também disse aos funcionários que eles devem usar máscaras novamente nas áreas comuns – pelo menos nos escritórios do Vale do Silício. Um porta-voz da gigante de tecnologia com sede em Cupertino, Califórnia, não quis comentar.

Embora o atraso esteja relacionado ao recente ressurgimento de covid-19, alguns funcionários da Apple reclamaram do plano de regresso ao trabalho, dizendo que limita a produtividade.

Eles argumentam que o tempo de deslocamento tira horas que poderiam ser usadas em seu trabalho. Os funcionários também reclamaram que o retorno ao escritório não levou em conta a falta de uma vacina para crianças pequenas.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Nova York eleva nível de alerta para covid e volta a recomendar uso de máscara

Telegram assina acordo com TSE e criará canal de denúncias sobre fake news durante as eleições