PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Internet de graça: Biden fecha acordo com provedores para famílias de baixa renda

Cerca de 11,5 milhões de domicílios já estão inscritos no Programa de Conectividade Acessível, dos 48 milhões elegíveis

As 20 empresas concordaram em fornecer planos a uma velocidade de pelo menos 100 megabits por segundo
Por Josh Wingrove
09 de Maio, 2022 | 06:57 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Vinte provedores de internet dos EUA concordaram em oferecer conexões de alta velocidade praticamente sem custo para milhões de famílias de baixa renda, como parte de um programa financiado pela lei de infraestrutura aprovada no ano passado.

O presidente Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris anunciarão nesta segunda-feira (9) que 20 empresas, incluindo AT&T, Comcast e Verizon, concordaram com o assunto, segundo autoridades que falaram com a Bloomberg News sob condição de anonimato antes do anúncio.

Cerca de 11,5 milhões de domicílios já estão inscritos no Programa de Conectividade Acessível, dos 48 milhões elegíveis. No programa, os beneficiários recebem descontos de até US$ 30 por mês.

As 20 empresas concordaram em fornecer planos a uma velocidade de pelo menos 100 megabits por segundo. Alguns estão reduzindo os preços dos planos existentes, enquanto outros estão aumentando a velocidade, disseram as autoridades.

PUBLICIDADE

As empresas não receberam nada e não receberão financiamento adicional do governo para oferecer os planos.

O governo dos EUA lançará um site, GetInternet.Gov, para permitir que as pessoas encontrem um plano de qualificação, entre outras medidas para aumentar o número de famílias participantes. Os 20 fornecedores elegíveis cobrem cerca de 80% da população dos EUA, disseram as autoridades.

As famílias se qualificam para o programa cumprindo um limite de renda ou automaticamente se um membro da família participar de outros programas federais, como Medicaid ou Pell Grants. As 20 empresas que se inscreveram são uma fração das mais de 1.300 que estão participando do Programa de Conectividade Acessível.

Leia também

Petróleo oscila com investidores pesando proibição de petróleo do G-7