Mercados

Brasil lidera ranking por ativos dos maiores bancos da América Latina em 2022

Itaú Unibanco (ITUB4) ocupa a primeira posição do ranking, que conta com 11 bancos brasileiros dentre os 50 maiores da região

Banco ocupou a primeira posição do ranking, com total de ativos no valor de US$ 371,4 bilhões.
04 de Maio, 2022 | 04:12 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Apesar do impacto negativo da desvalorização do real e da maioria das moedas da América Latina e do Caribe em relação ao dólar norte-americano no valor de seus ativos ao longo do último ano, os bancos brasileiros continuaram dominando a lista dos 50 maiores bancos da América Latina em 2022. É o que mostra levantamento da S&P Global Market Intelligence, divulgado nesta terça-feira (3).

A primeira posição é ocupada pelo Itaú Unibanco (ITUB4), com total de ativos no valor de US$ 371,4 bilhões. Ele é seguido pelo Banco do Brasil (BBAS3), com US$ 340,9 bilhões, e pelo Bradesco (BBDC4), com a soma de ativos no montante de US$ 300,7 bilhões.

Em relação a 2021, as seis primeiras posições, que incluem ainda Caixa Econômica Federal, Santander (SANB11) e Grupo Financiero BBVA México SA de CV, ficaram inalteradas. Ao todo, 11 bancos brasileiros estão contemplados no grupo.

As flutuações da taxa de câmbio prejudicaram alguns bancos em 2021. O Itaú teve um impacto negativo de US$ 27,07 bilhões, segundo o S&P Global Market Intelligence, representando cerca de 7% do total de ativos de US$ 371,38 bilhões, devido à volatilidade cambial. Mas se a tendência deste ano de valorização das moedas continuar, 2022 promete contar uma história diferente, avalia a empresa.

PUBLICIDADE

No ranking, destaque para o Citibank SA, que subiu nove posições para o número 27 em 2022 – o maior salto da lista. Em janeiro, a Moody’s disse que a estratégia do banco brasileiro de focar no formato de banco de atacado fortaleceu sua posição de mercado. A agência de rating também observou que a instituição financeira possui baixos índices de inadimplência suportados por procedimentos conservadores de gestão de risco, apesar de uma carteira de crédito concentrada.

Além disso, três novos bancos apareceram na lista este ano: Banco Azteca SA Institución de Banca Múltiple, no México, bem como Banco Santander Río SA e Banco de la Provincia de Buenos Aires na Argentina. Os três que saíram da lista foram o Banco BICE, do Chile, o Banco de la Nación, do Peru, e o Banco Nacional, da Costa Rica.

Confira o ranking completo:

Leia também:

As ações preferidas de analistas de 14 corretoras para comprar em maio

Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.